Funcionários das linhas 7-Rubi e 10-Turquesa da CPTM seguem em estado de greve

Os trabalhadores das linhas 7-Rubi e 10-Turquesa da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) seguem em estado de greve, o que significa que a categoria pode parar a qualquer momento. Em assembleia realizada na tarde desta segunda-feira (22/02), a CPTM rejeitou, pela segunda vez, a proposta dos ferroviários. A categoria quer que a empresa reveja o pagamento do Programa de Participação nos Resultados de 2015.

Trabalhadores representados pelo Sindicato dos Ferroviários de São Paulo (linhas 10-Turquesa e 7-Rubi) estiveram presentes na reunião que acorreu no Tribunal Regional do Trabalho, na Rua da Consolação, em São Paulo.

De acordo com o sindicato, a CPTM chegou com a mesma proposta registrada na última assembleia. “A categoria está mobilizada, podemos entrar em greve, por falta de acordo”, afirmou o presidente do sindicato, Eluiz Alves Matos.

Para Eluiz Alves Matos, além da falta de acordo, a CPTM piorou a situação dos trabalhadores que esperam pelo pagamento do Programa de Participação nos Resultados há mais de dez meses. Agora se o benefício for pago será parcelado em duas vezes. “Ficou decidido que até o dia 26 de fevereiro (sexta-feira), a CPTM vai divulgar os valores que cada um tem para receber. Estamos aguardando”, explicou.

Ainda sem data definida, uma nova reunião será agendada para a próxima semana.

Confira abaixo na íntegra a nota do Sindicato dos Ferroviários de São Paulo sobre o resultado da reunião desta segunda-feira:

“No dia 22 (segunda-feira), às 14h15, o Sindicato compareceu ao TRT para reunião sobre o PPR 2015. A reunião de conciliação aconteceu no Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos – NCC, com a presença dos representantes da empresa.

Na reunião, a CPTM manteve a mesma proposta com a novidade de parcelar o valor do PPR em 06 vezes. O Tribunal sugeriu o parcelamento em 4 vezes com acréscimo de 2% em cada parcela, mas a CPTM rejeitou. E, na tentativa de um acordo, o Ministério Publico propôs o pagamento do PPR em duas parcelas, sem acréscimo, sendo a primeira com vencimento para 31/03/2016 e a segunda 30 dias após, no que a CPTM concordou.

O TRT aguarda a manifestação da CPTM no processo, com o texto do acordo proposto por ela, discriminando valores e critérios de pagamento.

O Sindicato aguarda a manifestação da CPTM nos autos para apresentar, em assembleia, os valores do PPR/15.

Para o Sindicato o resultado da reunião no TRT foi muito desfavorável. Fomos em busca de melhorar a proposta, mas a CPTM inovou sugerindo o parcelamento do prêmio, o que sequer era objeto da discussão. Agora cabe a categoria decidir os rumos do movimento em busca de nossos direitos.”

Deixe um comentário