MobiLab reúne startups para discutir novas tecnologias em mobilidade urbana

Empreendedores utilizam dados do loboratório de mobilidade da Secretaria Municipal de Transportes (SMT) para criação de aplicativos

477
Foto: Sidnei Santos

Incentivar a integração de novas tecnologias de informação à mobilidade urbana foi um dos desafios propostos por jovens empreendedores de startups no Laboratório de Mobilidade da Secretaria Municipal de Transportes (SMT), o MobiLab, nesta segunda-feira (9). O evento fechou o ciclo de encontros sobre inovações no campo digital da São Paulo Tech Week.

Gabriel Araújo, estudante de 20 anos, explicou ao público sobre uma das funções do Muvall, aplicativo criado por ele. “Eu usei os dados do Olho Vivo para informar a pessoa que estiver num raio de 2 km a localização e o horário do ônibus que ela vai usar”. Ele criou o programa para concorrer a uma premiação oferecida por uma empresa automobilística em outubro deste ano. A aplicação Olho Vivo Na Via, disponível no site da SPTrans e utilizada por Araújo, indica o mapa de fluidez do transporte coletivo em tempo real via dados de GPS’s instalados nos veículos.

Os sistemas que auxiliam a SPTrans e a CET, como as câmeras que monitoram o trânsito, os semáforos, os GPS’s, dentre outros, geram, juntos, centenas de milhares de dados diariamente. Todas essas informações são exploradas e esmiuçadas para, depois, serem aproveitadas na criação de soluções tecnológicas modernas desenvolvidas com o auxílio do MobiLab.

Desde março de 2014, quando o governo aberto tornou-se uma das prioridades da atual gestão na cidade, incorporando princípios essenciais como transparência, inovação tecnológica e integridade, a SMT, por intermédio do MobiLab, abriu seus dados viabilizando a criação de novas alternativas para a melhoria da qualidade do trânsito, do transporte e de toda a mobilidade urbana em São Paulo. O Coletivo da Madrugada, Moovit e Cadê o Ônibus são exemplos de aplicativos que resultaram dessa ação.

Experiência inédita

A cidade de São Paulo é pioneira na América Latina na iniciativa de abrir os dados referentes ao gerenciamento de mobilidade urbana à pesquisa nesse nível. A proposta começou a ser implantada há um ano e meio, conta com equipamentos e técnicos do MobiLab, grupos multidisciplinares e startups que trabalham com monitoramento constante de equipes da SPTrans e da CET, sob coordenação do chefe de gabinete da SPTrans, Ciro Biderman.

Governo aberto em São Paulo

A São Paulo Aberta é parte do Programa de Metas da atual administração e foi criada por meio do Decreto 54.794, de 28 de Janeiro de 2014. A capital paulista é uma das primeiras cidades do mundo a incorporar, de forma integrada, transparência, participação social, inovação tecnológica e integridade nas políticas públicas.

Deixe seu comentário