Servidores municipais em greve fazem passeata no centro de Guarulhos

505
Foto: Guarulhos Web

Por volta das 16h desta segunda-feira, dia 5, mais de 10 mil pessoas se reuniram no cruzamento das avenidas Paulo Faccini com Monteiro Lobato, na região central da cidade de Guarulhos, impedindo o tráfego de veículo em todos os sentidos, inclusive para quem chegava ao município, vindo da rodovia Presidente Dutra. Naquele momento, foi o ápice da manifestação dos servidores públicos municipais contra o projeto do prefeito Sebastião Almeida (PT), que cria um novo Regime Jurídico Único (RJU) para a categoria. O congestionamento em toda a região central da cidade foi invevitável.

O funcionalismo público municipal iniciou nesta segunda-feira, uma greve exigindo que o prefeito retire o projeto de lei da Câmara Municipal e que aceite dialogar com a categoria para incluir pontos que não prejudiquem os servidores. Ou ainda, querem que o Legislativo decida pelo arquivamento. Nesta terça-feira, a Prefeitura espera por uma decisão do Tribunal Regional do Trabalho, em audiência de conciliação marcada para às 13h30, em São Paulo. No domingo, a administração do prefeito Sebastião Almeida (PT) tentou obter uma liminar para considerar a greve ilegal, mas não obteve êxito.

Pela manhã, o STAP (Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública) informava que a adesão à greve chegava a 80% da categoria. E que 30% dos serviços essenciais à população estavam garantidos. A equipe de reportagem do portal GuarulhosWeb percorreu diversos pontos da cidade para conferir a situação (veja aqui).

Das mais diversas secretarias, os servidores em greve começaram a realizar caminhadas em direção à praça Getúlio Vargas, onde às 14h ocorreu a assembleia de avaliação do movimento. Naquele instante, o Stap contabilizava 3 mil pessoas na praça Getulio Vargas. Quando os servidores deixaram o local, falava-se em 5 mil. O número não parou de crescer. Quando a passeata chegou a Avenida Paulo Faccini, já se contavam mais de 10 mil pessoas. A Polícia Militar não se manifestou sobre o número correto de pessoas presentes na manifestação, mas uma coisa é certa: foi um dos maiores movimentos já vistos nesta cidade.

A assembleia

A greve dos servidores públicos municipais de Guarulhos, iniciada nesta segunda-feira, vai prosseguir por tempo indeterminado, conforme decisão de assembleia encerrada no final da tarde na praça Getúlio Vargas, no Centro de Guarulhos. O presidente do Stap (Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública), Pedro Zanotti, informou que a administração até agora não entrou em contato para realizar qualquer negociação que pudesse ser levada à categoria.

* Com informações do portal Guarulhos Web

Deixe seu comentário