Vídeo mostra agressões entre três seguranças e um passageiro do Metrô

197
Reprodução: TV Globo

Confusão aconteceu na tarde de quarta-feira na Estação Belém da Linha 3.
Homem passou com cartão de idoso e foi abordado por seguranças.

Um segurança do Metrô e um passageiro ficaram feridos após uma confusão ocorrida na tarde desta quarta-feira (17) na estação Belém da Linha 3-Vermelha. Três agentes usaram cassetete para dominar o rapaz que passou pela catraca usando um bilhete único de um idoso. Quem estava na estação se assustou com a gritaria e o corre-corre. Confira o vídeo aqui.

Bruno Pereira de Souza, de 25 anos, envolveu em uma briga com os seguranças do Metrô depois de passar a catraca usando o bilhete único de outro usuário, que liberou a passagem para ele. Em seguida, Bruno foi abordado por uma agente do Metrô. Outros dois seguranças chegaram e, de repente, um deles empurrou Bruno, que revidou com um soco. Um dos agentes de seguranças bateu no rapaz, que foi imobilizado.

Imagens feitas por um outro passageiro mostra que quando Bruno conseguiu se levantar, o rosto dele estava sangrando.

Confusão começou quando Bruno passou na catraca ajudado por um idoso que lhe ofereceu o bilhete (1); em seguida, trocou socos com um segurança (2); foi agredido e imobilizado por outros agentes (3); e acabou com o rosto sangrando após a confusão (4) (Foto: TV Globo/Reprodução)

Câmeras do Metrô mostram que quem passou o cartão para Bruno entrar no Metrô foi Ricardo Nunes Pena, de 63 anos, desempregado. Ele disse que não sabia que não podia fazer isso. “Ele falou para mim: ‘Não tenho dinheiro’. Ao peguei e passei o cartão para ele.”

Na manhã desta quinta-feira (18), Jaqueline Pereira de Souza, irmã de Bruno, foi à delegacia ver as imagens. Ele disse que o irmão se defendeu.

“Houve agressão de ambas as partes. Vamos avaliar bem para não cometer injustiças”, disse o delegado Osvaldo Nico Gonçalves.

O Metrô afastou todos os seguranças envolvidos nessa confusão. O agente que foi agredido está internado na Santa Casa e passa por cirurgia.

Fonte: G1

Deixe seu comentário