Rio Grande da Serra acelera intervenções do PAC Mobilidade

189
Placa com as informações sobre as obras iniciadas na cidade. Foto: Folha de Ribeirão Pires

Responsável pela primeira e, por enquanto, única intervenção do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) Mobilidade iniciada na região, Rio Grande da Serra acelera o ritmo de trabalho e, em quase dois meses de obras, concluiu 10% das ações previstas. Maior projeto do município em toda a história, com investimento de R$ 41 milhões do governo federal, a previsão é concluir os trabalhos no segundo semestre de 2016.

O projeto, sob responsabilidade da ETC Empreendimentos e Tecnologia em Construções Ltda, inclui pavimentação da Avenida Guilherme Pinto Monteiro até a divisa com Ribeirão Pires; implantação de tratamento preferencial ao transporte coletivo na Avenida Dom Pedro I e nas ruas Prefeito Carlos José Carlson, Pastor Aquilino Sartori e José Maria Figueiredo; pavimentação e implantação de via exclusiva para ônibus na Rua Prefeito Cido Franco e pavimentação da Avenida José Bello e ruas Natal Perilo, José Carlos Pace e Valeriano Carreria Gonçalvez. Em todos os locais serão feitas ciclovias, readequação de calçadas, além de obras de drenagem e muros de contenção.

“Ao todo, serão 70 mil m² de asfalto. Se a gente pegasse uma rua de cinco metros de largura, daria para ir de Rio Grande da Serra até Santo André. Com isso, dá para ter uma noção dos benefícios para a população”, afirma o prefeito do município, Gabriel Maranhão (PSDB), que acompanhou o Diário em visita aos canteiros de obras na terça-feira.

Na primeira etapa, as intervenções atendem moradores da Vila Lopes, Vila São João, Vila Verde e, principalmente, quem usa a Avenida Guilherme Pinto Monteiro para acessar Ribeirão Pires. A via deve ser concluída em setembro.

Segundo o chefe do Executivo, as obras representam mais da metade do Orçamento da cidade (R$ 76,5 milhões). “Temos de agradecer muito ao governo federal. O valor do projeto representa quase 54% do dinheiro que temos para gastar o ano todo. Isso mostra a dimensão do projeto”, relata Maranhão, que ainda fala sobre a economia gerada na obra. “Conseguimos economizar R$ 4, 2 milhões com o reaproveitamento de paralelepípedos das ruas que receberão asfalto. Eles estão sendo retirados e utilizados na pavimentação de outras vias da cidade que ainda não foram beneficiadas.”

Para o prefeito, as intervenções vão melhorar diversos setores. “Quando falamos em obras de Mobilidade, temos ganhos em todas as áreas. No transporte escolar e de pacientes, na coleta de lixo. Há valorização imobiliária do entorno. Alguns imóveis chegam a valorizar 100% em ruas que eram de terra e agora são asfaltadas. Em visita às obras, um senhor disse algo que me marcou. Falou que trabalha em uma empresa há dez anos e nunca teve prazer de trazer os amigos em sua casa por conta das condições da região. Mas no último fim de semana, fez um churrasco e os convidou porque as vias agora estão boas.”

Ao todo, as obras geram 100 empregos diretos. A expectativa é atrair empresas para a região após o fim do projeto.

Fonte: Diário do Grande ABC

Deixe seu comentário