Polícia investiga se estudante atropelou e matou gari em São Paulo

A polícia investiga uma denúncia contra a dona de um carro que pode ter atropelado e matado o gari Alceu Ferraz, de 61 anos, na Avenida São João, no Centro de São Paulo. A estudante de 24 anos atropelou uma pessoa na mesma região na terça-feira (16), no mesmo dia do acidente, segundo a família.

A polícia encontrou um carro em um prédio, em Moema, Zona Sul de São Paulo, com as mesmas características do que foi registrado por uma câmera de segurança da Guarda Civil Metropolitana na Praça da República, a cerca de 500 metros do local do atropelamento. No boletim de ocorrência, a polícia registrou que o veículo está com o para-brisa quebrado. Só a perícia vai comprovar se o carro da estudante é o mesmo que atropelou o gari.

Um funcionário que trabalha no condomínio contou à reportagem do SPTV que na madrugada da terça-feira a estudante chegou nervosa e contou ter sofrido uma tentativa de assalto e que, por isso, arrancou com o carro e acabou atropelando uma pessoa. “O carro está na garagem. Está amassado na frente”, afirmou.

O pai da estudante confirmou que atropelou uma pessoa, mas não sabe dizer se era o gari. Ela se perdeu no Centro da cidade e teria se apavorado quando notou que trafegava em contramão. “Ela errou a rua e viu um monte de gente na frente do carro como se fossem vândalos. Como ela estava tentando sair desse pedacinho de contramão, ela se apavorou e bateu em alguém”, disse.

A família ficou sabendo pela imprensa de que um gari havia morrido. “Na reportagem que a gente foi saber, é um gari que veio infelizmente a falecer. Ela não prestou socorro porque ficou com medo de represália, estava sozinha e com medo de ser assaltada”, afirmou o pai.

A jovem está em Cuiabá, no Mato Grosso, onde mora a família, ainda de acordo com o pai. Um funcionário do prédio disse que os policiais avisaram que a perícia será feita ainda neste sábado, mas a Secretaria de Segurança Pública (SSP) ainda não confirmou.

O atropelamento

No acidente, o carro seguia pela faixa da direita e atropelou Ferraz, que morreu perto da esquina das avenidas São João e Duque de Caxias. O carrinho dele foi arremessado contra o colega José João, de 49 anos, que foi levado para Santa Casa com ferimentos leves. Ele passa bem. O motorista não parou para prestar socorro.

O porteiro Daniel dos Santos Paixão, que viu o atropelamento, afirmou que o veículo estava em alta velocidade “Acho que ele tentou ultrapassar pela direita, acabou atingindo o gari, aí perdeu o controle, subiu na calçada e fugiu.”

Mortes de garis

Este ano, cinco garis morreram enquanto trabalhavam na capital paulista. Pelo menos três foram atropelados. Os amigos de Ferraz contam que o caso desta segunda-feira foi o segundo em menos de uma semana.

Fonte: G1