Pesquisa aponta que 88% dos usuários do Metrô de SP têm acesso à internet

147

Mesmo com a superlotação rotineira no horário de pico do Metrô de São Paulo, muitos passageiros fazem algumas acrobacias para usar o celular e conferir as últimas atualizações nas redes sociais ou checar o e-mail.

Uma pesquisa obtida feita com 7.000 usuários desse meio de transporte em outubro de 2014 revela que 88% dessas pessoas acessam a internet. O número é 39 pontos percentuais a mais se comparado aos 49% dos usuários que usavam a rede em 2001.

Segundo uma pesquisa Ibope de 2013, cerca de 105 milhões de brasileiros usavam a internet. O número era equivalente a 52,5% da população nacional de 200 milhões de pessoas. Entre todos os entrevistados, 73% ainda disseram acessar a rede mundial de computadores por meio de celulares.

A pesquisa feita a cada dois anos em todas as estações mostrou que os passageiros do Metrô da capital paulista passaram a usar mais as redes sociais nos últimos anos. São 12% de usuários a mais com esse acesso, se comparado a 2012. Usado por 76% dos passageiros, o Facebook é campeão em fazer as pessoas procurarem um espaço na multidão para visualizar uma foto ou atualização dos amigos.

A rede social mais popular do mundo é seguida pelo aplicativo de mensagens instantâneas Whatsapp e pelo de vídeos Youtube.

Entre os passageiros, 42% usam a internet para acessar serviços de informações do Metrô, como o site, Twitter e a página no Facebook.

A chefe do Departamento de Relacionamento com o Cliente do Metrô, Cecília Guedes, diz que a pesquisa mostra a importância de manter um bom atendimento também nas redes sociais. “A internet se tornou uma importante ferramenta de colaboração para melhorar o nosso serviço. É também um fenômeno urbano importante ter quase a totalidade dos passageiros acessando a rede”, disse.

A demanda por informação rápida e o alto índice de usuários conectados aliado à necessidade de atender os usuários de forma rápida e confortável levou o metrô a criar em 2011 uma equipe para monitorar exclusivamente as redes sociais.

O responsável pelo grupo de quatro funcionários, Reginaldo Seixas, disse que as redes são monitoradas 12 horas por dia. “Nós publicamos conteúdo e respondemos ao maior número de dúvidas possível. Se algum usuário diz que há problemas no ar condicionado, por exemplo, essa informação é repassada para a área técnica apurar o problema imediatamente”, disse.

Segundo ele, os internautas mais participativos e influentes da rede são convidados a conhecer as instalações do Metrô e participar de reuniões. Em janeiro deste ano, a empresa foi certificada pelo site Social Bakers por responder a 80% dos comentários de usuários no Facebook. O selo é dado para companhias com mais de 65% das interações.

Temos serviços de informação por SMS e redes sociais para melhorar nossa prestação de serviço.

Fonte: Folha de São Paulo

Deixe seu comentário