Estudantes brasileiros lançam aplicativo Bora de Bike

Aplicativo para celular busca integrar ciclistas na criação de grupos e uso das ciclovias

439
de Bike
Publicidade

A mobilidade urbana é uma pauta que invadiu os grupos de discussões nas redes sociais e até o universo acadêmico. Cada vez mais pessoas estão interessadas em soluções de transportes mais eficientes, em que a bicicleta ganha papel de destaque por sua rapidez, economia e benefícios diretos na saúde proporcionados pela atividade física.

O tema Mobilidade urbana em São Paulo virou um debate promovido pelo Departamento de Administração do Centro Universitário da FEI (Fundação Educacional Inaciana), conhecida por suas formações em engenharia industrial e mecânica. No evento realizado nesta semana, alunos do 3º semestre do curso de Administração apresentaram o aplicativo Bora de Bike.

O aplicativo Bora de Bike tem o objetivo de estimular pessoas a utilizaram as ciclovias e ciclofaixas no Estado de São Paulo, assim como a criação de grupos que utilizam o mesmo trajeto nos mesmos horários. O aplicativo disponibiliza a função de rotas com base de dados do Google Maps.

Além disso, oferece informações sobre locais para consertos de bicicletas, locais que possuem estacionamento de bicicleta, condições climáticas e, no chat, os ciclistas podem compartilhar informações no estilo “mural de recados”.

“Nosso objetivo é otimizar o uso da ciclofaixa, através da formação de grupos de ciclistas, já que eles serão munidos de informações necessárias para o uso diário da bicicleta. Levamos 1 mês para chegar na versão Beta e disponibilizar o aplicativo para download gratuitamente”, explica o estudante Leonardo Santana, que desenvolveu o aplicativo na sala de aula da disciplina Sistemas de Informações Gerenciais, junto com sua colega Amanda.

Em entrevista, Leonardo afirmou que a ideia do aplicativo nasceu depois de verificar que a maioria dos aplicativos destinados aos ciclistas era focado, principalmente, para atiividades físicas e rendimento.

“O maior desafio é conseguir lidar com as informações, acompanhar a rapidez da eficiência e otimizar essa informação ao usuário. Agora o próximo passo é sincronizar o ciclista com o ambiente, para que ele possa compartilhar sua rota com outro ciclista”, explica Leonardo Santana, referindo-se a recursos de localização instantânea, como GPS.

Os estudantes afirmaram que vão continuar o desenvolvimento do projeto fora da universidade.

“Depois queremos sair da plataforma atual para desenvolver o aplicativo fora da formalidade do mundo acadêmico. Acreditamos que vamos conseguir através do uso da metodologia ‘crownfunding’ (financiamento coletivo)”, acrescenta o estudante que afirmou que utiliza a bicicleta nos finais de semana.

O aplicativo já está ativo e pode ser baixado aqui.

Deixe seu comentário

comentários

Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here