Em assembleia, professores da rede estadual de São Paulo decidem manter greve

65

Professores da rede pública estadual fizeram novo protesto em São Paulo nesta sexta-feira (29). Eles votaram pela manutenção da greve, que começou em março, em assembleia no vão do Masp, na Avenida Paulista. Depois da reunião, seguiram em direção à Praça da República.

Esta foi a foi a 11ª assembleia após a reunião que deflagrou a greve, em 13 de março. A concentração da manifestação começou por volta das 14h.

Segundo a PM, cerca de mil professores participavam do ato às 16 horas. Eles bloquearam totalmente a Avenida Paulista e a Rua da Consolação. Por volta das 18 horas, os manifestantes começaram a se dispersar na Praça da República. A Apeoesp calculou que 40 mil pessoas participaram do protesto. Segundo a PM, foram 4 mil manifestantes.

Em nota, a Secretaria Estadual de Educação afirma que a adesão à greve é baixa e 96% dos professores compareceu às salas de aula nesta semana. A Secretaria diz ainda que sete reuniões já foram realizadas e cinco propostas já foram protocoladas, uma delas de uma nova política salarial com data-base em julho. Destacou também que a justiça autorizou o desconto salarial dos grevistas.

Professores da rede municipal

Uma outra manifestação, de professores da rede municipal, bloqueou a faixa da direita do Viaduto do Chá, em frente à Prefeitura de São Paulo, no sentido da Praça Ramos de Azevedo.

Conforme estimativa da PM, cerca de 200 pessoas participaram do ato.

Deixe seu comentário