6º ato contra tarifa passa por prédio de Fernando Haddad e termina no Ibirapuera

O 6º ato contra as tarifas de ônibus, trens e metrô a R$ 3,50, promovido pelo Movimento Passe Livre (MPL), percorreu ruas da Zona Sul de São Paulo nesta quinta-feira (29) e terminou sem incidentes graves por volta das 21h30 na região do Ibirapuera. Durante o percurso, manifestantes pararam em frente ao prédio do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), para entregar o que chamaram de “Troféu Catraca”.

A Polícia Militar informou que o Monumento às Bandeiras, onde acabou o ato, foi pichado por manifestantes. Duas pessoas acabaram detidas com bolas de gude e uma lata de spray, segundo a corporação. Elas foram levadas ao 78º Distrito Policial, nos Jardins. Uma agência bancária também teria sido atacada e teve ao menos um dos vidros da fachada quebrado.

Os manifestantes se reuniram no vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp) no fim da tarde para definir o trajeto. Eles receberam o apoio de um grupo de professores que fez um ato durante a tarde na Praça da República, no Centro. A Polícia Militar, que contou com um efetivo de 800 homens durante o protesto, vetou que a passeata seguisse para o sentido Consolação da Avenida Paulista. Eles decidiram andar no sentido Paraíso.

O grupo saiu em caminhada por volta das 18h30 e fechou um dos sentidos da via. O MPL diz que a passeata chegou a reunir 10 mil pessoas. A PM falou em 1,2 mil participantes. A manifestação percorreu a Avenida Paulista até a Praça Oswaldo Cruz e parte da Avenida Bernardino de Campos. Depois, desceu a Rua Afonso de Freitas, no Paraíso, onde mora o prefeito Fernando Haddad.

O prédio de Haddad teve a segurança reforçada por PMs, que formaram uma barreira diante do edifício. Os manifestantes pararam, se sentaram na via, cantaram e pularam uma catraca dourada que pretendiam entregar ao prefeito. Em seguida, foram para a Avenida 23 de Maio, onde chegaram a bloquear totalmente o sentido aeroporto.

O protesto entrou, então, na Avenida Pedro Álvares Cabral, na região do Parque Ibirapuera, passou em frente à Assembléia Legislativa e foi encerrado no Monumento às Bandeiras. A PM diz que pelo menos 40 adeptos da tática black bloc, que fazem depredações em protestos, participaram do ato. Um fotógrafo disse que teve o equipamento quebrado por um grupo de black blocs.

Confira abaixo a galeria de imagens registradas pelo repórter Eduardo Silva.

Deixe um comentário