19.5 C
São Paulo
domingo, maio 19, 2024

Novo modelo de travessia de pedestres começa a ser testado em São Paulo

Novo modelo de faixa de pedestres é baseado em prática utilizada em Tóquio e visa dar mais segurança aos pedestres. A sinalização é inédita no país.

Em continuidade às ações voltadas ao aumento da segurança do sistema viário, a Secretaria Municipal de Transportes, através da Companhia de Engenharia de Tráfego – CET, implantou na última segunda-feira (08/12), travessia de pedestres nas diagonais do cruzamento das ruas Riachuelo e Cristóvão Colombo (que antecede a Avenida Brigadeiro Luiz Antônio).

O Secretário Jilmar Tatto realizou uma vistoria no local e falou sobre a importância de iniciativas como esta para a mobilidade de pedestres na cidade. “Este projeto é fundamental para priorizar o pedestre. Fazer com que ele se sinta mais livre na sua mobilidade e acabe ganhando mais tempo nas travessias.

Às vezes quando a travessia é muito demorada a tendência de algumas pessoas é não esperar e tentar atravessar o cruzamento sem a devida segurança. E é essa situação que gera um potencial de acidente” assinalou Tatto durante a agenda.

Esta faixa de pedestres em “X” visa facilitar a vida dos pedestres que, ao invés de efetuarem a travessia em duas etapas distintas (uma via por vez) para atingir a esquina oposta, poderão fazê-lo em uma única vez, conforme folha informativa anexa.

O referido cruzamento foi escolhido com base em pesquisa de contagem de travessia de pedestres. Baseado na pesquisa de contagem de travessia de pedestres, a estimativa do volume de pedestres na hora pico nos 3 períodos, manhã, entre pico e pico tarde são de 745, 1771 e 1468 pessoas / hora, respectivamente.
Com base nisto, o cruzamento será contemplado com a implantação das novas faixas de pedestres, novas placas educativas criadas para informar a permissão da travessia na diagonal, sinalização semafórica de pedestres para atender a nova situação e propiciar tempo de travessia segura (5 segundos de verde acrescidos de 18 segundos de vermelho piscante).

O tempo médio de travessia que, em duas etapas, é de 89 segundos; na diagonal, cai para 61 segundos. Um ganho de 28 segundos para os usuários que têm o desejo alcançar as calçadas das diagonais.

Este é um projeto piloto, inspirado nos modelos de Tóquio, a partir do qual poderão ser estabelecidos parâmetros e, feitas as devidas avaliações, ser expandido para outros locais da cidade.

Fonte: Departamento de Imprensa – CET

MOBILIDADE SAMPA

Siga o Mobilidade Sampa nas redes sociais e fique informado sobre a mobilidade urbana de São Paulo e Região Metropolitana:

  • Twitter
  • Instagram
  • Telegram
  • Facebook
  • YouTube
  • LinkedIn
  • Eduardo Paulino
    Eduardo Paulinohttps://eduardopaulino.com
    Paulistano, empresário, aquariano e prestativo. É apaixonado pelos temas marketing digital, mobilidade urbana, recursos humanos e empreendedorismo. É o criador dos sites de mobilidade do Grupo PLN. Quer entrar em contato com o Eduardo? Conecte com ele no LinkedIn ou envie um e-mail para eduardo@mobilidadesampa.com.br.

    ÚLTIMOS POSTS

    ESCREVA SEU COMENTÁRIO

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    SIGA-NOS

    6,317SeguidoresSeguir
    28,236SeguidoresSeguir
    439InscritosInscrever
    PUBLICIDADE

    ÚLTIMOS POSTS