Metrô conclui coleta de dados para Pesquisa Origem e Destino 2024

Nesta quinta-feira, 20 de junho de 2024, o Metrô de São Paulo anunciou a conclusão da coleta de dados para a Pesquisa Origem e Destino (OD). A pesquisa, que abrangeu 32 mil domicílios na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), entra agora na fase de tabulação dos dados, com divulgação prevista até o final do ano.

A Pesquisa Origem e Destino, realizada a cada dez anos desde 1967, visa entender os padrões de deslocamento na Grande São Paulo, incluindo viagens por trilhos, ônibus, carros, motos, a pé e de bicicleta. Esta edição foi antecipada para avaliar os impactos da pandemia de Covid-19 nas mobilidades urbanas.

A coleta, realizada ao longo de oito meses desde o ano passado, abrangeu 527 zonas nos 39 municípios da RMSP. Foram feitas entrevistas detalhadas com todos os moradores dos domicílios, cobrindo aspectos como quantidade, tipo e motivo dos deslocamentos diários, além de questões socioeconômicas e mudanças nos hábitos de viagem pós-pandemia.

Uma inovação desta edição foi a inclusão do item Viagens Externas, que contou com a classificação de veículos em rodovias de acesso à RMSP por meio de equipamentos eletrônicos estratégicos. Passageiros dos aeroportos de Cumbica (Guarulhos) e Congonhas (São Paulo), além dos terminais rodoviários do Tietê, Barra Funda e Jabaquara, também foram pesquisados, assim como pontos de parada de ônibus fretados próximos às estações de metrô.

Esta é a sétima edição da pesquisa, que desde 1967 fornece dados detalhados sobre os deslocamentos na região, fundamentais para o planejamento das redes de transporte e infraestrutura de mobilidade. Os resultados são utilizados não apenas para o transporte, mas também para estudos em urbanismo, logística, segurança, saúde e educação.

Segundo o Metrô, a Pesquisa Origem e Destino é crucial para entender como, por onde e por que as pessoas se deslocam, fornecendo um diagnóstico preciso dos padrões de viagem na RMSP. As informações obtidas subsidiam o planejamento de projetos de transporte, como a projeção das linhas de metrô, e são usadas em modelagens de estudos para diversos setores.

Com metodologia comparável às utilizadas em Londres e Paris, a pesquisa de São Paulo tem servido de modelo para outras grandes cidades brasileiras, ajudando a aprimorar planos de mobilidade e logística em todo o país.

O Metrô destacou que os dados coletados ao longo das edições da OD têm sido fundamentais para perceber as grandes mudanças na metrópole e planejar as melhores formas de promover o deslocamento das pessoas, auxiliando no desenvolvimento de uma infraestrutura de transporte eficiente e integrada.

Deixe um comentário