Governos de Mato Grosso do Sul e São Paulo buscam conectar Ferrovia Malha Oeste para viabilizar retomada da linha férrea

Os governos de Mato Grosso do Sul e São Paulo estão em negociações com o governo federal para conectar a Ferrovia Malha Oeste aos sistemas das ferrovias Malha Norte e Malha Paulista, com o objetivo de viabilizar a retomada da linha férrea que atravessa o estado. Projeções indicam investimentos entre R$ 5 a R$ 6 bilhões na recuperação da linha férrea em Mato Grosso do Sul, desconsiderando o trecho paulista, com previsão de definição ainda este ano.

A proposta foi discutida em uma reunião com o ministro dos Transportes, Renan Filho, solicitada pelos governadores Eduardo Riedel, de Mato Grosso do Sul, e Tarcísio Freitas, de São Paulo. Após o encontro, Riedel destacou o progresso nas negociações e enfatizou o objetivo de iniciar a operação da Malha Oeste, que representa um marco para Mato Grosso do Sul.

O governador ressaltou que a proposta é alcançar uma definição sobre o projeto até o final do ano, após 15 anos de esforços para viabilizar a linha férrea. Atualmente, a Malha Oeste encontra-se sucateada e depende de estudos técnicos para demonstrar sua viabilidade econômica.

Riedel detalhou que os projetos de construção de ferrovias das empresas Eldorado e Suzano complementam a proposta, especialmente a ligação de Três Lagoas a Aparecida do Taboado. Ele explicou que o trecho de Três Lagoas a Mairinque, dentro do território de São Paulo, não teria sentido econômico isoladamente, mas os projetos das empresas mencionadas possibilitam essa ligação, integrando-se à Malha Norte e à Malha Paulista.

Um projeto já foi apresentado e está em fase de licenciamento por parte de Mato Grosso do Sul. O objetivo é permitir o retorno da operação da Malha Oeste, de Campo Grande a Três Lagoas e posteriormente na região de Corumbá, para o transporte de minério. O modelo final ainda não está definido, mas estima-se um investimento entre R$ 5 bilhões a R$ 6 bilhões.

Riedel ressaltou que as conversas estão em andamento e que o projeto precisa ser amadurecido como um todo, mas enfatizou a importância do progresso nas negociações para o desenvolvimento e a conectividade do sistema ferroviário no estado de Mato Grosso do Sul.

Deixe um comentário