22.6 C
São Paulo
sexta-feira, fevereiro 23, 2024

Ricardo Nunes quer duas linhas de VLT no Centro de São Paulo

O Prefeito Ricardo Nunes pretende iniciar em 2024 a construção de duas linhas de VLT no Centro da cidade de São Paulo. Ao todo, serão quase 12 quilômetros de extensão.

Segundo publicação da Folha, as obras deverão custar aproximadamente R$ 3,7 bilhões. Segundo o secretário municipal de Governo, Edson Aparecido, uma parte deverá ser bancada pelo governo federal através do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

A equipe de Ricardo Nunes e membros da gestão Lula, tiveram pelo menos quatro reuniões para debater a inclusão do projeto no PAC.

“O ministro Jader Filho confirmou que deverá sair R$ 1,4 bilhão para o programa do VLT, que inscrevemos no PAC. Ele já havia conversado com o prefeito. As duas linhas devem custar entre R$ 3,5 bilhões e R$ 3,7 bilhões, restante será pago pelo município”, afirmou o secretário municipal Edson Aparecido.

“Vamos, agora, fazer a modelagem. Temos proposta de duas linhas de VLT na área central, que devem complementar a malha viária. É um projeto, inclusive, de requalificação do centro da cidade”, disse Aparecido.

“Bonde de São Paulo”

O sistema de VLT no Centro foi batizado pela gestão Nunes de “Bonde São Paulo”.

Serão duas linhas, cada uma com seis quilômetros de extensão, com 27 estações ao todo – 13 para cada linha, além de uma extra onde haverá conexão entre as duas linhas (vermelha e azul) na Avenida São João.

O sistema deve entrar em operação em três anos e meio, a partir da data do início das obras.

O Bonde de São Paulo terá capacidade para quase 450 passageiros, sendo que o VLT deverá ser composto por cinco módulos.

Pelo projeto, ele deverá funcionar diariamente de 6h até 0h com tarifa estimada em R$ 2,20.

Estima-se que 134 mil pessoas por dia deverão usar o sistema.

Conexões com pontos históricos e áreas de lazer da cidade

O Bonde de São Paulo deve ser integrado a espaço como o Mercado Municipal, Triângulo Histórico, Rua 25 de Março, Theatro Municipal, Sala São Paulo e Biblioteca Municipal Mário de Andrade.

Parques e espaços livres de relevância também passarão a ser acessados pelo Bonde São Paulo, como o Vale do Anhangabaú, Parque da Luz, Largo do Paissandú, Largo do Arouche, Praça da Sé, Praça Dr. João Mendes, Praça da República, Parque Dom Pedro II e o Parque Minhocão.

Deixe seu comentário

MOBILIDADE SAMPA

Siga o Mobilidade Sampa nas redes sociais e fique informado sobre a mobilidade urbana de São Paulo e Região Metropolitana:

  • Twitter
  • Instagram
  • Telegram
  • Facebook
  • YouTube
  • LinkedIn
  • Igor Roberto
    Igor Robertohttps://noticiando.net/
    Paulistano, empreendedor e pai. Formado em gestão pública e graduando em Direito. É fascinado por temas relacionados a mobilidade urbana e o transporte público. É o redator de conteúdo dos sites de mobilidade do Grupo PLN. Quer entrar em contato com o Igor? Envie um e-mail para igor@grupopln.com.br.

    ÚLTIMOS POSTS

    SIGA-NOS

    6,317FollowersFollow
    28,236FollowersFollow
    439SubscribersSubscribe
    PUBLICIDADE

    ÚLTIMOS POSTS