Veículos elétricos: pontos de recargas devem acompanhar ritmo de crescimento do setor

As vendas de veículos leves eletrificados não param de crescer. No mercado global, a categoria pode chegar a 33% de participação até 2028 e representar mais da metade das transações até 2035 (54%), de acordo com estudo da consultoria AlixPartners. Só no Brasil, em 2022, a frota ultrapassou 126 mil unidades e, em 2023, o primeiro quadrimestre registrou aproximadamente 20 mil vendas, segundo a ABVE (Associação Brasileira do Veículo Elétrico), crescimento de 51% em relação ao mesmo período do ano anterior. 

Em terras brasileiras, a franca expansão reflete a importância de investimentos primordiais para a “sobrevivência” e a progressão do setor. Os pontos de recarga, por exemplo, ainda são escassos por aqui quando comparados às perspectivas de crescimento do mercado. Hoje, o Brasil conta com aproximadamente 2,8 mil eletropostos públicos e semipúblicos em operação, também de acordo com a ABVE. Dados da Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL) preveem que serão necessários 80 mil eletropostos públicos até 2030 para acompanhar a demanda. 

Considerando ainda que a matriz elétrica brasileira detém 84% de capacidade de geração de energia renovável, de acordo com o Ministério de Minas e Energia – ou seja, possui fontes consideradas inesgotáveis ao meio ambiente, como hídrica, solar, eólica, de biomassa e geotérmica – com o aumento da circulação de veículos elétricos e da infraestrutura necessária, é possível alcançar uma qualidade do ar melhor com menos poluentes, colaborando assim para um país mais limpo e sustentável. 

Antecipando tendências 

A questão da baixa quantidade de postos de recarga não pode ser um entrave rumo a todo o potencial que o setor oferece. De olho nas novas alternativas em mobilidade e nas demandas por experiências de uso inovadoras, empresas já lançaram aplicativos para mapear eletropostos no Brasil.  

É o caso do Zul+, aplicativo da Estapar que facilita a vida dos motoristas. Em parceria com a Zletric, startup criada com o objetivo de oferecer soluções para a mobilidade urbana com o serviço de recarga para veículos elétricos, a ferramenta agora viabiliza o acesso a um mapa atualizado com todos os pontos da Zletric espalhados pelo país, incluindo informações sobre a potência, o modelo e o número de plugues, além do horário de funcionamento das estações. Atualmente, a Zletric é detentora da maior rede de carregamento semipública instalada no país, com mais de 600 carregadores, em 15 estados. 

Trabalho em conjunto 

Funcionalidades como o serviço de geolocalização de postos de recarga representam um grande passo na construção da jornada do usuário. Mas, antes mesmo de pensar além, o Brasil precisa do básico para alavancar o setor. Portanto, governo, indústria e instituições privadas devem trabalhar em prol da ampliação da infraestrutura voltada ao segmento. As cidades e os estados que não voltarem os olhares a esse nicho, com os devidos incentivos, tendem a ficar para trás. 

Energia do presento e futuro 

Produzir cada vez mais energia renovável e abandonar as fontes convencionais é uma necessidade compartilhada por todos os países do mundo. Na prática, significa pensar adiante e contribuir para que, em longo prazo, os índices de poluição e dos gases de efeito estufa diminuam. Diante desse contexto, a ascensão dos veículos elétricos reforça uma necessidade a nível global, já que se trata de um segmento que alia sustentabilidade, inovação e mobilidade urbana.