Prefeitura de SP mantém toda a frota e reforça o sistema com mais 200 ônibus para amenizar impacto da greve do Metrô e da CPTM

A Prefeitura de São Paulo colocou 200 ônibus a mais nas ruas da capital, desde as primeiras horas desta terça-feira (03/10), como mais uma medida para amenizar impacto da greve do transporte público sobre trilhos. Também há o reforço com 238 técnicos da SPTrans nas ruas e 44 viaturas para dar apoio aos passageiros. 

Ao acompanhar em tempo real o monitoramento dos ônibus e a movimentação pela cidade no Centro de Operações da SPTrans, o prefeito Ricardo Nunes explicou que normalmente a operação é feita com 11.934 ônibus. “Colocamos 200 ônibus a mais, portanto, 12.134 ônibus estão operando hoje na cidade, o dia inteiro, sem redução da quantidade de ônibus na cidade de São Paulo, visando atenuar esse problema da greve do Metrô e da CPTM. Nas linhas que não foram concedidas, porque as concedidas estão funcionando”, disse. 

Além disso, a Secretaria Executiva de Transporte e Mobilidade Urbana (Setram) e a SPTrans também ampliaram o itinerário de 26 linhas municipais de ônibus, para permitir que os passageiros consigam chegar mais próximo de locais com maior concentração de comércio e serviços. 

“A gente estendeu as linhas porque são justamente os locais que eram servidos por Metrô, principalmente aqui na região central, a maioria delas saindo da Zona Leste, que é a região com o maior volume de pessoas que usam o transporte coletivo. Então existe a extensão das linhas para que as pessoas possam ter mais comodidade e chegar ao seu destino”, afirmou o prefeito. 

Ao tomar conhecimento da greve anunciada por sindicatos de trabalhadores do Metrô, CPTM e Sabesp para as primeiras horas desta terça-feira, a Prefeitura adotou uma série de medidas emergenciais para reduzir os impactos à população: decretou ponto facultativo, suspendeu o rodízio municipal de veículos com placas finais 3 e 4 durante todo o dia e determinou operação especial no transporte público por ônibus. 

Está mantido o funcionamento de escolas e creches, unidades de saúde, serviços de segurança urbana, de assistência social, do serviço funerário, além de outras unidades cujas atividades não possam sofrer descontinuidade.   

“Por que excetuamos a educação? A cidade de São Paulo tem um milhão e oitenta mil alunos, quase meio milhão são criancinhas de creche, e era importante manter a utilização das creches, porque tem muitas mães que inclusive trabalham nessas linhas do Metrô que estão operando, que são motoristas de ônibus, para elas poderem deixar suas crianças e ir trabalhar”, explicou Nunes.  

O prefeito ressaltou ainda que, apesar de o rodízio de veículos estar suspenso, continua em vigor a proibição de utilização das faixas e corredores de ônibus. “Não entrem na faixa de ônibus, a gente tem que deixar o corredor livre, até porque aumentamos o número de ônibus, temos que deixar o corredor livre para os ônibus fluírem.” 

Apesar do grande impacto no trânsito, o prefeito ressaltou que, pela manhã, a situação estava sob controle. Por volta das 7h, o índice de lentidão estava em 443 km, contra 214 km de lentidão registrados ontem no mesmo horário. “O índice de lentidão está bem mais alto que ontem, mas está sob controle, a gente está até um pouco surpreso. Me parece que as pessoas estão fazendo um pouco de escalonamento dos horários. Tem bastante trânsito, mas não chega a ser algo muito intenso”, afirmou. 

Sobre as pessoas que eventualmente perderam sua consulta, exame ou cirurgia, Nunes afirmou que “ninguém terá prejuízo”. “Vamos reordenar isso, é só fazer a ligação para a central de atendimento e nós vamos fazer a remarcação de exames e consultas para que ninguém seja prejudicado.” 

Linhas estendidas da estação Corinthians-Itaquera até a estação Tatuapé:

  • 2703/10 Jd. Etelvina – Metrô Itaquera
  • 2703/21 Jd. Etelvina – Metrô Itaquera
  • 2703/22 Jd. Gianetti – Metrô Itaquera
  • 2707/10 Chabilândia – Metrô Itaquera
  • 2707/31 Chabilândia – Metrô Itaquera
  • 2721/10 Jd. Nazaré – Metrô Itaquera
  • 2733/10 Pq. Guarani – Metrô Itaquera
  • 2734/10 Jd. Campos – Metrô Itaquera
  • 3732/10 CPTM José Bonifácio – Metrô Itaquera
  • 3741/10 CPTM Dom Bosco – Metrô Itaquera
  • 374V/10 Jd. Santana – Metrô Itaquera
  • 3754/10 Inácio Monteiro – Metrô Itaquera
  • 407H/10 Jd. São Francisco – Metrô Itaquera

Linhas estendidas da Estação Guaianases da CPTM até a estação Carrão do Metrô:

  • 2004/10 Jd. Nsa. Sra. do Caminho – CPTM Guaianases
  • 2009/10 Jd. Robru – CPTM Guaianases
  • 2059/10 São Miguel – CPTM Guaianases
  • 2202/10 Jd. das Oliveiras – CPTM Guaianases
  • 3026/10 Vl. Iolanda II – CPTM Guaianases
  • 3064/10 Cid. Tiradentes – CPTM Guaianases

Linhas estendidas da estação Tucuruvi até a estação Luz:

  • 1705/10 Jd. São João – Metrô Tucuruvi
  • 1705/51 Cem. Pq. da Cantareira – Metrô Tucuruvi
  • 1709/10 Jd. Joana D’arc – Metrô Tucuruvi
  • 1709/21 Jd. Joamar – Metrô Tucuruvi
  • 1720/21 Vila Sabrina – Metrô Tucuruvi
  • 1722/10 Jd. Marina – Metrô Tucuruvi

Linha estendida entre a estação Jardim São Paulo até a estação Santana:

  • 178Y/10 Vila Amélia – Metrô Jardim São Paulo

Linhas que serão reforçadas:

As linhas abaixo terão suas frotas reforçadas, por operarem em trechos estratégicos para a cobertura dos eixos metroviários.

  • 106A/10 Metrô Santana – Itaim Bibi
  • 107T/10 Metrô Tucuruvi – Term. Pinheiros
  • 1178/10 São Miguel – Praça do Correio
  • 175P/10 Metrô Santana – Ana Rosa
  • 175T/10 Metrô Santana – Metrô Jabaquara
  • 2104/10 Metrô Santana – Term. Pq. D. Pedro II
  • 3539/10 Cid. Tiradentes – Metrô Bresser
  • 407P/10 Term. Cidade Tiradentes – Metrô Tatuapé
  • 4310/10 E.T. Itaquera – Term. Pq. D. Pedro II
  • 5110/10 Term. São Mateus – Term. Mercado
  • 5290/10 Divisa de Diadema – Term. Pq. D. Pedro II
  • 8400/10 Term. Pirituba – Praça Ramos de Azevedo
  • 8615/10 Parque da Lapa – Term. Pq. D. Pedro II

Rodízio

A Secretaria de Mobilidade e Trânsito, por meio da Companhia de Engenharia de Tráfego, informa que o Rodízio Municipal de Veículos estará suspenso nesta terça-feira, durante todo o dia.

Continuam valendo normalmente o rodízio de placas para veículos pesados (caminhões) e as demais restrições: Zona de Máxima Restrição à Circulação de Caminhões (ZMRC) e a Zona de Máxima Restrição ao Fretamento (ZMRF); e as proibições de circulação de veículos nas faixas e corredores de ônibus, conforme a sinalização.

A Engenharia de Tráfego da CET manterá monitoramento constante nas ruas e avenidas da cidade, visando manter as condições de fluidez das vias.