São Paulo obtém autorização para implantar mais 70 km de Faixa Azul

A Prefeitura de São Paulo foi autorizada pela Secretaria Nacional de Trânsito (Senatran) a ampliar o projeto-piloto da Faixa Azul na cidade. Serão mais 71 km de faixas azuis que se somarão aos atuais 22,5 km implantados nas avenidas 23 de Maio, dos Bandeirantes e Afonso D’Escragnolle Taunay. O anúncio foi feito pelo prefeito Ricardo Nunes durante evento realizado na sede da Prefeitura, que contou com as presenças do Ministro de Estado dos Transportes, Renan Filho, do Secretário Nacional de Trânsito, Adrualdo de Lima Catão, além do Secretário de Mobilidade e Trânsito da cidade, Celso Gonçalves Barbosa.

A autorização ora concedida pela Senatran engloba duas frentes de ampliação do projeto-piloto. A primeira trata da prorrogação do prazo para ampliação da Faixa Azul do Corredor Norte-Sul no sentido Aeroporto. Atualmente, a Faixa Azul do Corredor está entre a Praça da Bandeira e o Complexo Viário Jorge João Saad, na Av. 23 de Maio, totalizando 5,5 km de extensão. Com a prorrogação do prazo de implantação, outros 7 km serão sinalizados, compreendendo a Av. Santos Dumont (desde a Ponte das Bandeiras), Av. Tiradentes, Av. Prestes Maia e, na outra ponta, a Av. Rubem Berta (até a Av. Indianópolis) e a Av. Moreira Guimarães (até o Vd. João Julião da Costa Aguiar).

A segunda frente de ampliação da Faixa Azul diz respeito à implantação do projeto-piloto em outros oito eixos viários da cidade, totalizando 64 km. São eles: Av. Nações Unidas (7 km de Faixa Azul somando os dois sentidos); Avenidas Sumaré e João Paulo VI (6,8 km); Av. Brig. Faria Lima (9,2 km); Av. Zaki Narchi (3,6 km); Av. Luiz Dumont Villares (5 km); Av. Miguel Yunes (4 km); Av. do Estado (8,2 km); e Avenidas Jacu Pêssego, Nova Trabalhadores e Vice Presidente José de Alencar G. da Silva (20,2 km). A previsão para conclusão da implantação da sinalização da Faixa Azul nas vias autorizadas é janeiro de 2024.

Dados de monitoramento dos dois projetos-pilotos implantados até o momento (23 de Maio e corredor Bandeirantes – Afonso D’Escragnolle Taunay) mostram que não foram registrados óbitos de motociclistas em ambas as vias, desde que receberam a nova sinalização. O número de acidentes graves e com vítimas também diminuiu. O índice de utilização da Faixa Azul pelos motociclistas é alto, aproximadamente de 80% na Av. 23 de Maio e de 90% no eixo da Av. dos Bandeirantes.

Pesquisa realizada pelo Departamento de Educação e Pesquisa da CET aponta que 96,9% dos motociclistas ouvidos percebem o projeto da Faixa Azul como benéfico para a mobilidade, 2,1% informaram que não e 1% não respondeu. Já a percepção dos motoristas como um projeto benéfico para a cidade fica em 87,3%; 7,6% responderam que não acham a iniciativa benéfica e 5,1% não responderam aos questionamentos.

Projeto-piloto da Faixa Azul

Atualmente, a frota de motos da cidade de São Paulo é de 1,3 milhão de unidades em circulação. A motocicleta vem ganhando destaque na última década, com aumento ainda mais expressivo durante os anos de pandemia, com a popularização dos serviços de entregas. Além disso, por seu baixo custo de manutenção, também é um meio de transporte atrativo. Tais circunstâncias têm trazido mais usuários para o viário, muitas vezes inexperientes. Nos últimos anos, os motociclistas têm sido aqueles que mais morrem no trânsito da cidade.

Para reduzir o número de acidentes graves e óbitos de motociclistas, a CET buscou soluções que pudessem trazer mais segurança às motos, mesmo mantendo o compartilhamento do viário com os veículos, sem segregação de espaços. Partindo de experiências da Malásia, Copenhagen e de cidades australianas, profissionais da Companhia, das áreas de Segurança Viária, Sinalização, Planejamento e Projetos, construíram um projeto-piloto batizado de Faixa Azul. O objetivo é organizar o espaço viário compartilhado entre os automóveis e as motocicletas, reduzindo conflitos.

A Faixa Azul é baseada em dois preceitos: Visão Zero e Sistemas Seguros. Na Visão Zero, nenhuma morte no trânsito é aceitável. Já um Sistema Seguro é projetado para evitar que os erros dos diferentes usuários do viário possam ocasionar ocorrências graves, que resultem em lesões ou mortes.

Por não estar prevista no Código Nacional de Trânsito (CTB), a nova proposta de sinalização precisou do aval da Santran para ser implantada de maneira experimental, para que avaliações sobre o desempenho pudessem ser realizadas e acompanhadas pelo órgão federal.

Av. 23 de Maio

A Faixa Azul da Av. 23 de Maio começou a funcionar de forma completa em 25 de janeiro de 2022. De lá para cá, nenhum óbito de motociclista trafegando no trecho em que a sinalização foi implantada foi registrado. A Avenida foi escolhida para ser a primeira do projeto-piloto por ser uma via com grande utilização pelas motocicletas: 2.400 motos por hora, chegando a 50 mil ao dia. Por lá, 78% dos sinistros envolviam moto. No total, são 5,5 km de Faixa Azul no sentido Aeroporto, da Av. 23 de Maio, desde a Praça da Bandeira até o Complexo Viário Jorge João Saad (Cebolinha).

Av. dos Bandeirantes/Afonso D’Escragnolle Taunay

A Faixa Azul da Av. dos Bandeirantes e da Av. Afonso D’Escragnolle Taunay, implantada em 6 de outubro de 2022, tem 8,5 km por sentido e totaliza 17 km de sinalização de proteção para motociclistas. Ela está implantada desde a Marginal Pinheiros até o início do Vd. Min. Aliomar Baleeiro. Após a implantação da Faixa Azul, que em breve completa um ano de operação, não foram registrados óbitos de motociclistas.

Prefeitura de SP pede autorização para mais 28 vias (120 km) de Faixa Azul

Na ocasião do evento, a Prefeitura, por meio da Secretaria de Mobilidade e Trânsito e da Companhia de Engenharia de Tráfego, entregou ao Senatran um novo pedido de autorização para ampliação do projeto-piloto. A solicitação é para implantação de mais 120 km de Faixa Azul distribuídos entre a Estrada de Itapecerica; Av. Sen. Teotônio Vilela; Av Prof. Luiz Ignácio de Anhaia Melo; Av. Washington Luis; Av. Eng. Armando de Arruda Pereira; Av. Inajar de Souza; Av. do Cursino; Av. Jorn. Roberto Marinho; Av. Escola Politécnica; Rua Vergueiro; Eixo Norte/Sul (sentido Santana); Av. Santos Dumont (trecho da zona norte); Av. Braz Leme; Rua Santa Eulália; Elevado Pres. João Goulart; Av. Dr. Gastão Vidigal; Av. Aricanduva; Túnel Ayrton Senna I; Av Dr. Ricardo Jafet; Av. Prof. Abraão de Morais; Complexo Viário Maria Maluf; Av. Pres. Tancredo Neves; Av. Salim Farah Maluf; Viaduto Aliomar Baleeiro; Av. Gov. Carvalho Pinto/Av. Dom Helder Câmara/Av. Calim Eid; Av. Eliseu de Almeida; Av. Pirajussara; Rua Sapetuba. Dessa forma, fica encaminhado o cumprimento da meta de gestão de implantação de uma rede de 200 km de Faixa Azul na Capital.

Prêmio Senatran 2022

Em 8 de dezembro de 2022, em Brasília, a CET de São Paulo foi laureada com o 1º lugar na Categoria VIII – Órgãos Integrantes do Sistema Nacional de Trânsito (SNT) dos Municípios do Prêmio Senatran 2022, cujo intuito é contribuir com a Nova Década Mundial de ações para Segurança no Trânsito. A conquista é um reconhecimento à qualidade do projeto-piloto da Faixa Azul, implantado nas avenidas 23 de Maio e dos Bandeirantes para reduzir acidentes e mortes de motociclistas.

Promovido pela Secretaria Nacional de Trânsito (Senatran), vinculada ao Ministério da Infraestrutura, o prêmio tem por objetivo incentivar a sociedade brasileira à produção técnica, científica e artística de trabalhos voltados ao tema segurança no trânsito. No total, são dez categorias, desde crianças de 12 e 13 anos à educação de jovens e adultos (EJA), universitários dos cursos de Engenharia, Arquitetura e Urbanismo, educadores e órgãos componentes do SNT.