23.2 C
São Paulo
sábado, fevereiro 24, 2024

Prefeitura de São Paulo lança programa de manutenção permanente da malha cicloviária

A Prefeitura de São Paulo vem expandindo a malha cicloviária da cidade a caminho de cumprir a meta 1.000 km de extensão da rede até o final de 2024.

Hoje, com 722 km de ciclovias, ciclofaixas (690 km) e ciclorrotas (32 km), a capital paulista já tem a maior malha cicloviária do País. Com o objetivo de garantir a manutenção contínua das estruturas cicloviárias e a recuperação imediata daquelas que precisam, a Secretaria de Mobilidade e Trânsito (SMT) inicia o Programa de Manutenção Permanente da Malha Cicloviária. As primeiras vias que receberão melhorias são Av. Jair Ribeiro da Silva, na região de Cidade Dutra, Rua França Pinto, na Vila Mariana, e na estrutura localizada na Av. Visconde de Taunay, em Santo Amaro.

O objetivo do programa de manutenção permanente é prolongar a vida útil das estruturas já implantadas, garantindo a regularidade das características técnicas, estruturais e de sinalização, assegurando conforto e segurança para quem pedala. A prioridade neste início de execução será a requalificação das estruturas em situação mais crítica, apontadas pela Auditoria Cidadã realizada pela Ciclocidade, em 2022, pelo Conselho Municipal de Trânsito e Transporte (CMTT), pela Câmara Temática de Bicicleta (CTB) e pelos apontamentos da população paulistana por meio da Central SP 156. As equipes de engenharia de tráfego da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) realizarão vistorias técnicas nas estruturas indicadas e, a partir dos resultados, a empresa vencedora do processo licitatório iniciará os trabalhos de requalificação.

O Consórcio Manutenção de Ciclos SP, constituído pelas empresas M4 Construções e Sinalisa Segurança Viária, foi o vencedor da concorrência e será responsável pela execução das ordens de serviço emitidas pela SMT, na medida em que as vistorias da CET apontarem as estruturas com necessidade de requalificação.

O padrão de sinalização a ser seguido é aquele definido à época do lançamento do Plano Cicloviário da Cidade de São Paulo, em dezembro de 2019, que trouxe mais qualidade para as estruturas cicloviárias e segurança para os ciclistas:

  • Instalação de elementos de sinalização como tachas e tachões para segregar as bicicletas dos demais veículos e evitar invasões, no máximo a cada metro, no caso das ciclofaixas;
  • Linhas divisórias nas cores branca e vermelha ou amarela e vermelha, a depender do sentido da via para veículos;
  • Pintura do fundo vermelho nas aproximações dos cruzamentos, apenas, para assegurar melhor aderência. A pintura vermelha nas aproximações chama a atenção de ciclistas e motoristas para áreas de intersecção dos modais;
  • Placas de regulamentação e pictogramas (desenhos) no solo reforçando que o local é destinado aos ciclistas;
  • Tinta própria para asfalto, com características antiderrapantes.

Auditoria Cidadã 2022 – Ciclocidade

A Ciclocidade lançou em junho de 2022 a “Auditoria Cidadã 2022 da Estrutura Cicloviária de São Paulo”, resultado de uma pesquisa de campo realizada em toda a rede da cidade de São Paulo com o objetivo principal de fornecer insumos para que a Companhia de Engenharia de Tráfego e a Secretaria de Mobilidade e Trânsito realizarem a manutenção dos pontos considerados críticos.

O resultado do levantamento foi que 81% da malha existente àquela época (699,2 km) estava em boas condições, 19% precisavam de algum grau de atenção, sendo que 5% requeriam requalificação imediata e 2% estavam apagadas.

Conselho Municipal de Trânsito e Transporte (CMTT) e Câmara Temática de Bicicleta (CTB)

O Conselho Municipal de Trânsito e Transporte é a instância que propicia a participação e o controle social das ações voltadas à mobilidade na cidade de São Paulo. Foi constituído pelo Decreto 54.058, de 1º de julho de 2013, e é formado por três bancadas: poder público, operadores dos serviços e os usuários. O Conselho, de caráter consultivo, tem composição tripartite e paritária. As duas primeiras bancadas são constituídas, respectivamente, a partir da indicação dos órgãos públicos e das entidades representativas dos setores.

Já a bancada dos usuários é formada a partir de eleição, sendo cinco membros representantes de cada região da cidade e 10 membros representantes de temas ligados ao trânsito e transporte. O Decreto prevê ainda a formação de câmaras temáticas para tratar especificamente sobre determinado setor ou serviço. Atualmente, existem as câmaras temáticas de bicicleta, mobilidade a pé, motocicleta, táxi e transporte escolar. Os eleitos em votação direta tem mandato de dois anos.

As reuniões da Câmara Temática de Bicicleta acontecem de forma remota, mensalmente, e têm como objetivo geral construir uma política cicloviária para a cidade de São Paulo a partir do diálogo entre representações de ciclistas e o poder público municipal. Durante as reuniões, os membros e conselheiros da CTB apresentam sugestões e apontam possibilidades de melhorias para as estruturas e políticas públicas cicloviárias existentes na cidade.

Central SP 156

Qualquer cidadão paulistano pode contribuir para uma cidade melhor. A Central SP 156 é o canal oficial da Prefeitura para prestação de serviços e recepção de reclamações e sugestões ou esclarecimento de dúvidas.

Deixe seu comentário

MOBILIDADE SAMPA

Siga o Mobilidade Sampa nas redes sociais e fique informado sobre a mobilidade urbana de São Paulo e Região Metropolitana:

  • Twitter
  • Instagram
  • Telegram
  • Facebook
  • YouTube
  • LinkedIn
  • ÚLTIMOS POSTS

    SIGA-NOS

    6,317FollowersFollow
    28,236FollowersFollow
    439SubscribersSubscribe
    PUBLICIDADE

    ÚLTIMOS POSTS