General Motors propõe layoff para 1.200 metalúrgicos em São José dos Campos

A General Motors está propondo suspender o contrato de 1.200 trabalhadores da planta de São José dos Campos por meio de um layoff. A informação foi passada pela diretoria da companhia ao Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, filiado à CSP-Conlutas, em reunião nesta quarta-feira (14/06).

Segundo a empresa, que alega queda nas vendas, a medida suspenderia a produção no segundo turno por até dez meses e começaria a partir do dia 3 de julho.

O layoff prevê que os trabalhadores fiquem em casa, façam cursos de requalificação e recebam parte dos salários com recursos do FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador). Para ser implementado, é necessária a aprovação dos trabalhadores em assembleia.

O Sindicato dos Metalúrgicos, que nesta reunião apenas ouviu a direção da empresa, propõe outras alternativas, como a redução da jornada de trabalho sem redução de salário. Uma nova negociação com o Sindicato está prevista para sexta-feira (16).

“A General Motors lucrou muito no último período e não tem por que suspender o contrato dos trabalhadores, que acabam sendo prejudicados”, afirmou o vice-presidente do Sindicato, Valmir Mariano.

“O Sindicato intensificará a campanha em defesa dos empregos na GM de São José dos Campos e, uma vez que a empresa fala em queda nas vendas, a entidade reivindica a redução da jornada de trabalho sem redução de salário, para que todos os empregos sejam garantidos”, acrescentou Valmir.

A GM em São José dos Campos conta com 3.958 trabalhadores e produz os modelos S10 e Trailblazer.