Maioria dos trabalhadores em transporte por aplicativo sem segurança previdenciária

Somente 23% dos trabalhadores no setor de transporte por aplicativo estão contribuindo para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), de acordo com um estudo publicado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

O estudo considera a categoria gig economy, que inclui profissionais sem vínculo formal de trabalho que prestam serviços temporários.

Entre os demais trabalhadores autônomos, o percentual de contribuintes para a Previdência é maior, em 33%.

As regiões Sul e Sudeste têm as maiores taxas de contribuintes, enquanto Nordeste e Norte têm taxas bem abaixo da média nacional.

O pesquisador do Ipea Geraldo Góes ressalta a importância da regulamentação para proteger os trabalhadores, já que a vulnerabilidade aumenta a falta de contribuição para a Previdência.