CCR ViaOeste utilizará balanço sucessivo como método construtivo para nova ponte de Osasco

A CCR ViaOeste utilizará o balanço sucessivo como método construtivo para a nova ponte de acesso à Osasco, que ligará a marginal da rodovia Castelo Branco na altura do km 15+800 à Avenida Fuad Auada, umas das principais avenidas do município. A metodologia proporciona, dentre outras vantagens, o menor impacto durante o período de obras para os motoristas utilizam a rodovia Castelo Branco e o viário urbano de municipal.

A técnica consiste na concretagem in loco (no local), comumente utilizada para a construção de dispositivos como viadutos e pontes em locais que possuem obstáculos que impossibilitem o escoramento de apoio, para vencer grandes vãos e geometria, como é o caso de rios ou uma rodovia. A futura ponte será erguida sobre oito apoios que darão sustentação para toda a estrutura. Em cada um dos blocos será fixada uma grua que fará o içamento dos materiais até o dispositivo de avanço, facilitando e trazendo agilidade para a confecção da estrutura.

Para a Coordenadora de Engenharia da CCR ViaOeste, Aline Peçanha, o conforto e segurança dos clientes das rodovias foi a condição determinante para a escolha. “As obras da nova ponte de acesso à Osasco foram pensadas sob a ótica da vivência de quem utiliza as rodovias e avenidas locais diariamente, além de se adequar perfeitamente às características geométricas do local”, explica.

Sobre a obra da nova ponte de acesso para Osasco

Com investimentos da ordem de R$ 232 milhões, o projeto da nova ponte de acesso para Osasco, que fará a ligação da rodovia Castelo Branco na altura do km 15+800 com a Avenida Fuad Auada, a partir da via Marginal Oeste da SP-280, trará benefícios como maior segurança e fluidez aos clientes da rodovia e cidadãos de Osasco.

Além da ponte, estão previstos ainda a implantação de sinalização vertical e horizontal ao longo da obra e elementos de segurança como defensas metálicas e barreiras rígidas, dentro de um prazo contratual de 23 meses para execução.

Geração de empregos

A execução da obra beneficiará a região com mais de 6 mil empregos diretos e indiretos ao longo de todo contrato, privilegiando a mão-de-obra local. Atualmente cerca 20 oportunidades estão abertas para preenchimento imediato nas funções de serviços gerais, carpinteiro, armador, pedreiro e soldador. As contratações acontecerão conforme o andamento das atividades, e, caso haja necessidade de extensão do turno de trabalho, os números aumentarão.