Infraestrutura rodoviária recebe novo impulso do governo federal

O ministro dos Transportes, Renan Filho, anunciou que a prioridade da pasta é retomar a capacidade de investimento em obras no modo rodoviário, que estava em queda desde 2016.

Ele abriu a primeira edição do Fórum de Desempenho do DNIT e destacou que o governo federal já está trabalhando na recomposição e incremento do orçamento do departamento.

O DNIT, considerado a principal casa da engenharia nacional, sofreu uma queda considerável nos investimentos nos últimos sete anos devido ao teto de gastos.

No entanto, com a suplementação de R$ 2,7 bilhões de restos a pagar e a Lei Orçamentária Anual (LOA 2023), o Ministério dos Transportes terá R$ 18,8 bilhões, quase três vezes maior do que o investido em 2022.

O ministro acredita que a retomada dos investimentos no DNIT resultará em melhorias nas rodovias ao final do ano, mas isso depende do alinhamento do trabalho da ponta e da definição de metas.

Além disso, o DNIT não deve depender de emendas parlamentares e precisa operar com seus próprios recursos.

O diálogo com o parlamento e com os governadores precisa ser transparente e ouvir as necessidades locais para encontrar o caminho mais barato e efetivo.

O Fórum continuou com reuniões entre os superintendentes e integrantes das Diretorias Geral, Executiva, de Administração e Finanças, de Planejamento e Pesquisa, Rodoviária, Ferroviária e Aquaviária, além de representantes da Corregedoria, Auditoria, Ouvidoria, Integridade e Comunicação Social.