Campinas: Linha BRT20 atende mais cinco estações entre Campo Grande e Centro

A Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) e a Secretaria de Transportes (Setransp) iniciaram a segunda fase da operação piloto da linha BRT20, na manhã desta sexta-feira, 27 de janeiro. Mais cinco estações estão sendo atendidas entre o Campo Grande e o Centro: Rossin, Florence, Roseira (PUCC), Garcia e Aurélia, localizadas na Avenida John Boyd Dunlop.

Com isso, a linha alcança 10 estações e terminais atendidos no total. Além das cinco novas paradas, a BRT20 atende ao Terminal Campo Grande, Terminal Satélite Íris, Estação Londres, Estação Rodoviária e Terminal BRT Mercado. A primeira linha com características BRT começou a circular em novembro do ano passado.  

“A operação piloto está colocando em uso, gradativamente, os equipamentos públicos do Corredor BRT Campo Grande. Os usuários são beneficiados com mais agilidade no deslocamento, estações mais modernas e confortáveis”, destaca o presidente da Emdec, Vinícius Riverete.

A linha semiexpressa BRT20 liga a região do Campo Grande ao Centro em cerca de 40 minutos. Ela circula em dias úteis, nos horários de pico da manhã e da tarde. Na fase 2, o intervalo foi reduzido de 20 para 16 minutos e a frota ampliada de quatro para cinco veículos. Com isso, a programação horária da linha foi ajustada. Confira os novos horários de paradas:

Partidas do Terminal Campo Grande

4:46 – 5:02 – 5:18 – 5:34 – 5:50 – 6:06 – 6:22 – 6:38 – 6:54 – 7:10 – 7:26 – 7:42 – 7:58 – 8:14 – 8:30

Partidas do Terminal Mercado 

15:30 – 15:46 – 16:02 – 16:18 – 16:34 – 16:50 – 17:06 – 17:22 – 17:38 – 17:54 – 18:10 – 18:26 – 18:42 – 18:58 – 19:14

O retorno pelo sentido oposto ao da circulação é reservado, ou seja, sem paradas, para agilizar as viagens no sentido de maior fluxo de passageiros.  

Itinerário

No sentido Centro, a linha BRT20 parte do Terminal Campo Grande, transitando pelas faixas exclusivas da Avenida JBD e atendendo à Estação Rossin, Estação Florence, Terminal Satélite Íris, Estação Roseira (PUCC), Estação Londres, Estação Garcia e Estação Aurélia. Na altura do Jardim Aurélia e Shopping Unimart, acessa a alça que liga os Corredores Campo Grande e Perimetral, passando pelo Viaduto Estaiado e Estação BRT Rodoviária. Na sequência, circula pelas vias Dr. Mascarenhas e João Penido Burnier; e atende ao Terminal BRT Mercado. 

Operação
No sentido bairro, parte do Terminal BRT Mercado, passando pelas vias Saldanha Marinho e Marquês de Três Rios em direção à Estação BRT Rodoviária, passando pelo Viaduto Estaiado e acessando a faixa exclusiva da Avenida JBD pela alça de ligação, realizando paradas na Estação Aurélia, Garcia, Londres, Roseira (PUCC), Terminal Satélite Íris, Estação Florence, Estação Rossin e Terminal Campo Grande

Características das estações 

As estações e terminais do BRT contam com plataformas com estrutura metálica e piso em granito; vidro laminado duplo e portas automáticas; acessibilidade (rampas, corrimões e piso tátil); iluminação em LED; e catracas eletrônicas.   

As portas automáticas das estações operam em sincronia com a dos veículos. Semáforos orientam os condutores para a saída dos veículos das estações e terminais, para prosseguimento da viagem. A Emdec instalou novos bancos de madeira e lixeiras nas estações.  

O pagamento da tarifa deve ser feito nas catracas eletrônicas, por meio do Bilhete Único, QR Code impresso em papel ou na tela do smartphone. Para acessar o Terminal Satélite Íris, é necessário ter créditos válidos no Bilhete Único ou QR Code. O Terminal Campo Grande conta com bilheteria e terminal de autoatendimento. 

Orientações aos usuários

Nos primeiros dias da nova operação, educadores e agentes da Emdec estão orientando os usuários e distribuindo materiais informativos nas cinco novas estações atendidas e, também, no Terminal Campo Grande. As ações de orientação da população envolvem ainda fixação de faixas, cartazes em ônibus e publicações em redes sociais.

A operação piloto envolve o monitoramento da linha em campo pelos agentes da Mobilidade Urbana nas estações e terminais, além do acompanhamento remoto do Núcleo de Monitoramento de Transporte (NUMT), que vem recebendo as demandas e acionando as áreas envolvidas para correção das ocorrências registradas.