São Vicente: Tráfego na Ponte dos Barreiros é liberado

134
Barreiros São Vicente
Foto: Prefeitura de São Vicente

O tráfego nos dois sentidos na Ponte dos Barreiros foi totalmente liberado na tarde desta segunda-feira (25/07), por volta das 17h. Após conclusão das obras de recuperação, a população já pode dar adeus ao sistema pare e siga.

Essa etapa da reforma custou R$ 37,5 milhões, seguindo à risca o cronograma de 12 meses previsto inicialmente. Agora, a estrutura suporta uma capacidade de até 45 toneladas (antes era de 32 toneladas) e vai ter uma vida útil de 50 anos, sendo necessárias, conforme a legislação, inspeções rotineiras anuais e especiais de cinco em cinco anos

O prefeito Kayo Amado esteve no local para acompanhar a liberação e celebrou a conclusão dos serviços. “Há quase três anos, as pessoas, principalmente os moradores da Área Continental, sofreram muito com as interdições, principalmente no ano de 2019, em que o tráfego de veículos foi totalmente fechado, o que causou imagens sofridas de pessoas atravessando a pé, no sol e na chuva. Hoje, graças a Deus essa história vira passado e todas as pessoas vão poder voltar à normalidade para irem aos seus trabalhos, escola e voltarem para casa”, disse o prefeito.

Amado também fez questão de agradecer todo o envolvimento técnico da Prefeitura e dos responsáveis pela obra. “Foi um trabalho com fiscalização da nossa equipe técnica da Prefeitura do início ao fim. Quero agradecer todo o apoio da Secretaria de Obras, os agentes de trânsito e os guardas da GCM, a empresa Jatobeton que realizou um trabalho incrível, mantendo o cronograma e com a qualidade necessária para a complexidade do serviço, e também nosso corpo jurídico que garantiu que a ponte não fosse fechada em nenhum momento, mantendo o pare e siga para o fluxo, diminuindo o transtorno que seria se as pistas fossem novamente fechadas por 12 meses”, completou.

Detalhes dos serviços concluídos

Recuperação estrutural de 217 estacas

O projeto consistiu no encamisamento do fuste e aumento da área da seção circular das estacas. Este encamisamento possui uma espessura de 11 cm densamente armada (anel com 11 cm de espessura e realizado com graute estrutural de resistência de 40 MPa, desenvolvido especialmente para aplicação subaquática).

Reforço de 284 longarinas de concreto armado

O reforço envolveu a inserção de armaduras longitudinais e transversais na região inferior e na lateral das longarinas e, consequente, aumento da taxa de armadura. Envolveu também o aumento da seção transversal da viga por meio da utilização de graute com resistência de 40 MPa.

Recuperação e reforço de cinco longarinas metálicas

Soldagem de novas chapas de aço nas almas e mesas das vigas longarinas existentes. Envolveu também a pintura para proteção contra corrosão destes elementos estruturais.

Recuperação estrutural de manifestações patológicas

Essas manifestações eram basicamente pontos de corrosão de armaduras e desplacamentos de concreto pontuais distribuídos ao longo de toda a ponte em elementos estruturais da infra, meso e superestrutura. Estes elementos consistem em 112 travessas de concreto, 580 bases de acomodação dos aparelhos de apoio, mais de 6.700 m2 de tabuleiros, 1.246 metros de defensas tipo new jersey e 623 metros de guarda corpo.

Outros serviços

Troca de 580 aparelhos de apoio de todas as longarinas (aparelhos de apoio de neoprene fretado), tratamento das 59 juntas de dilatação (execução de berços de aproximação, lábios poliméricos e instalação dos perfis elastoméricos), drenagem, etc.

Histórico da reforma

A reforma teve início em agosto de 2021, com a montagem do canteiro avançado de obras, dos andaimes e balsas, para que o pontapé no serviço estrutural pudesse ser dado.

Na metade de setembro, os trabalhadores contratados da Jatobeton, empresa responsável pela obra, iniciaram os reparos em todas as estacas, transversinas, longarinas, New Jersey, juntas de dilatação e guarda-corpo da ponte, serviços realizados em diversas frentes de trabalho.

Houve a troca das juntas de dilatação (dispositivos usados para absorver a variação volumétrica dos materiais devido às mudanças das temperaturas, e também utilizados para mitigar os efeitos da vibração e movimentação da estrutura decorrentes do tráfego), garantindo a movimentação natural e a vida útil da ponte.

Outro serviço realizado foi o “macaqueamento”, que consiste em levantar a estrutura da ponte em alguns centímetros para a colocação de uma nova borracha nitrílica, garantindo a absorção dos impactos diários que a estrutura sofre.

A frente de trabalho foi composta por cerca de 150 funcionários.

Pavimentação

As pistas da Ponte dos Barreiros receberam nova pavimentação. Foram de 5 a 7 centímetros da camada final, totalizando 300 toneladas de asfalto em toda a extensão da ponte.

O asfalto de alta durabilidade e aderência utiliza 15% de pó de borracha moída derivada da reciclagem de pneus descartáveis, o que agrega característica ecológica ao produto. Além disso, a técnica ajuda na redução de ruídos sobre pavimentos de concreto, garantindo excelente segurança aos usuários e vida útil superior em comparação com o asfalto convencional.

Outro serviço também executado pela Secretaria de Serviços Públicos (Sesp) foi a troca do asfalto de acesso à ponte, que estava com os antigos blocos de concreto sextavado e foram removidos para que a massa asfáltica preenchesse todo o local de ponta a ponta da estrutura.

O passeio de pedestres também foi melhorado, com uma calçada maior e a instalação de uma faixa de pedestres em frente ao totem, para trazer mais segurança para quem utiliza o VLT ou desce no início da Avenida Nações Unidas.

A ponte também recebeu nova iluminação e sinalização.

Deixe seu comentário