Tembici lança projeto de bicicletas elétricas compartilhadas em parceria com Itaú, iFood e Prefeitura de São Paulo

Projeto chega para atender diversos perfis de uso, de forma democrática, sustentável e acessível; O lançamento também faz parte do posicionamento da cidade com a pauta climática e objetivos do desenvolvimento sustentável da agenda de 2030

215
Bicicleta
Foto de Nubia Navarro (nubikini) por Pexels.com

No Dia Mundial da Bicicleta, a Tembici, empresa líder de micromobilidade na América Latina, em parceria com Itaú Unibanco, patrocinador do bicicleta Itaú, iFood, maior plataforma de delivery da América Latina e patrocinador do iFood Pedal e a Prefeitura de São Paulo, anunciam o lançamento do primeiro projeto de bicicletas elétricas compartilhadas com sistema de estações fixas em São Paulo. As 500 bicicletas elétricas começam a chegar ao sistema de forma gradual na próxima semana, em modelo similar ao já operante no Rio de Janeiro, também liderado pela companhia.

A chegada do modal no sistema é muito aguardada, pois expande a possibilidade de uso diário, uma vez que facilita deslocamentos mais longos e com diferentes relevos, exigindo menos esforço de quem pedala, além de fazer parte da estratégia da cidade no cumprimento de seus compromissos sustentáveis. “Acompanhamos as tendências globais e sabemos da importância das bicicletas elétricas para cidades mais democráticas e sustentáveis. Temos uma experiência extremamente positiva no Rio de Janeiro, que já chegou a registrar mais de 4 mil viagens em um único dia com as e-bicicletas, tanto com finalidade de deslocamento, quanto de delivery, e sabemos que será um marco muito importante para São Paulo”, afirma Tomás Martins, CEO e co-fundador da Tembici.

Os usuários do Bike Sampa poderão optar pela bicicleta elétrica com valores a partir de R$ 2,50, por 15 minutos, no plano completo. A expectativa é que as e-bicicletas façam três vezes mais viagens do que as bicicletas tradicionais, já que possuem pedal assistido, ou seja, o motor é acionado quando a bicicleta é pedalada, sem acelerador, tornando a bicicleta mais leve. Com velocidade limitada a 25 km/h, os freios e peças de transmissão das bicicletas carregam selo de empresas renomadas do mercado, proporcionando a máxima qualidade e segurança.

“O Bike Itaú completa 10 anos de operação no país, e a chegada das bicicletas elétricas em São Paulo reforça não apenas o nosso compromisso com o conceito de compartilhamento de bicicletas, mas também com a mobilidade sustentável. O investimento de longa data no projeto de bicicletas é fruto da nossa visão da mobilidade ativa como elemento essencial para a construção das cidades do futuro”, comenta Luciana Nicola, diretora de Relações Institucionais e Sustentabilidade do Itaú Unibanco. “Juntos, todos os parceiros nesta iniciativa, temos uma grande influência para incentivar cada vez mais o uso das bicicletas, a melhoria da infraestrutura e segurança para os ciclistas e também incentivar a intermodalidade no dia a dia”, completa a executiva.

Modal democrático e acessível

Segundo o estudo “Micromobilidade no sul global”, divulgado recentemente pela Tembici, o uso de bicicletas compartilhadas no Brasil teve um aumento de 400% nos últimos 10 anos. Junto a essa tendência, o uso do modal para entregas também foi algo que se consolidou.

“O sistema compartilhado tem exatamente o objetivo de atender diversos perfis de uso. Por isso, vamos sempre investir em um sistema democrático, que favoreça os usuários e as cidades. Ter bicicletas normais e e-bicicletas em nossas estações é dar essa liberdade de escolha e possibilitar que cada pessoa entenda o seu momento e necessidade”, afirma o executivo da Tembici.

“E essa mensagem se torna ainda mais forte, quando temos dois parceiros de extrema relevância, como iFood e Itaú, junto a nós e a Prefeitura de São Paulo – que possui uma das mais modernas regulamentações para sistemas compartilhados de bicicleta – para fomentar o uso e a disponibilidade do modal”, finaliza.

Entregas verdes

A iniciativa também amplia as possibilidades para pessoas entregadoras que já contavam com as bicicletas elétricas exclusivas por meio do iFood Pedal, projeto lançado pelo iFood em parceria com a Tembici, que compreende as diversas necessidades de uso desse público.

O iFood Pedal está presente em 6 cidades brasileiras: São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Recife, Salvador e Brasília. E até hoje, já realizou mais de 3 milhões de entregas verdes com bicicletas convencionais e elétricas.

“Essa parceria é um passo importante no compromisso do iFood com nossas metas de redução das emissões de carbono, pois amplia as possibilidades das pessoas entregadoras que não ficam restritas ao iFood Pedal. O iFood segue seu compromisso e missão de ser o melhor parceiro possível para os entregadores da plataforma ao viabilizar também a possibilidade do aluguel de modais, como a bicicleta convencional e a elétrica”, comenta Fernando Martins, head de inovação logística do iFood.

Impactos positivos para a cidade

O Bike Sampa já economizou mais de 5 mil toneladas de CO₂ e de acordo com o estudo de micromobilidade, 52% dos respondentes afirmam que fariam os deslocamentos em modos motorizados se não utilizassem a bicicleta, o que reforça sua importância e contribuição para o meio ambiente.

Além disso, 27% combinam o uso com outros meios de transporte, sendo 82% ônibus ou metrô. Na cidade de São Paulo, 1 a cada 5 viagens de bicicletas compartilhadas começam ou terminam em estações de metrô ou terminais de ônibus, e as bicicletas elétricas devem ampliar esses números incentivando a intermodalidade, característica fundamental para a conectividade dos trajetos.

Deixe seu comentário