Obras da segunda fase do VLT avançam para o Centro de Santos no final do maio

283
Foto: Carlos Nogueira/Prefeitura de Santos

Uma reunião entre Prefeitura de Santos e EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo) definiu, nesta terça-feira (12/04), que as obras da segunda fase do VLT (Veículo Leve Sobre Trilhos) nas ruas Amador Bueno e João Pessoa, no Centro de Santos, serão iniciadas no final de maio. O objetivo é que as intervenções sejam concluídas até novembro, mês que antecede o Natal, devido aos diversos pontos comerciais existentes na região.

O cronograma detalhado das obras será definido em reunião técnica, nesta quarta-feira (13/04), em São Paulo. Após o detalhamento, a Administração Municipal informará os comerciantes locais, com um mês de antecedência, sobre quando será o início das intervenções. A ideia é gerar o menor impacto possível na rotina de moradores e proprietários de comércio do Centro.

ACELERANDO OS TRABALHOS

Ainda como forma de agilizar a conclusão dessa nova etapa, a Prefeitura autorizou, na segunda-feira (11/04) via Diário Oficial, a extensão do horário para execução de obras públicas na cidade. A lei complementar nº 1.162 agora permite que intervenções sejam realizadas até 22h nos dias úteis e, aos sábados, até 18h.

A CET-Santos também acaba de firmar uma parceria com o aplicativo Waze, que informa diariamente o morador santista sobre desvios de rotas na cidade por conta das obras do VLT.

MAIOR COMPLEXIDADE

Segundo o prefeito Rogério Santos, as obras da segunda fase na região central são de maior complexidade e, por conta disso, precisam avançar em diferentes frentes. “O Centro é uma região que, diferentemente do passado, hoje tem uma população maior e muito mais comércios, além de estruturas antigas que precisam de adaptações. É uma obra complexa que envolve diversas execuções simultâneas como drenagem, calçada, rede elétrica, interdições de vias, entre outras ações. E a nossa maior preocupação é realizar um trabalho sincronizado, com todos os serviços avançando em conjunto”.

Também presente na reunião, o secretário estadual de Transportes Metropolitanos, Paulo José Galli, afirmou que cerca de 40% dos trabalhos de drenagem e 25% das ações relativas a esgosto já estão concluídas nesta segunda etapa.

Participaram também do encontro o presidente da CET-Santos, Antônio Carlos Gonçalves, além de autoridades municipais e estaduais.

SEGUNDA FASE DO VLT

Com investimento de R$ 217,7 milhões do Governo do Estado, essa fase do VLT contempla 14 estações, com oito quilômetros de extensão. O trajeto liga a Linha 1, a partir da Avenida Conselheiro Nébias, ao Centro da Cidade, passando pelas ruas Campos Mello, Doutor Cochrane, João Pessoa, Visconde de São Leopoldo, São Bento, Amador Bueno, Constituição e Luiz de Camões, além de locais de interesse público como o Mercado Municipal, o Poupatempo e o Terminal do Valongo.

Com 2,65 metros de largura e 44 metros de comprimento, cada composição do VLT tem capacidade para 400 usuários. Todos os vagões possuem ar-condicionado e piso baixo. A velocidade varia entre 25 e 80 quilômetros por hora. A estimativa é de que o consumo de energia com este tipo de transporte seja 2,6 vezes inferior em comparação aos ônibus e 5,4 vezes menor em relação aos carros.

Deixe seu comentário