Três motivos para deixar o carro na garagem e ir ao trabalho de ônibus

160
Ônibus
Foto de Alex Fu por Pexels.com

É de praxe: o tema sustentabilidade tem protagonizado os cadernos de economia e negócios com o avanço da agenda ESG no Brasil. Para o segmento de mobilidade urbana essa realidade é um pouco diferente: a escolha do uso do transporte coletivo não costuma ser prioridade para quem tem carro, e o uso de transporte particular é um grande gargalo para problemas de tráfego em grandes cidades, além dos danos ambientais causados pela queima de combustíveis nada sustentáveis.

E não dá para culpar o brasileiro: o país ainda enfrenta má qualidade, superlotação e aumentos de preços do transporte público, o que motiva mais pessoas a comprarem carro para terem mais conforto para ir ao trabalho – o cenário corporativo já tem enchido seus escritórios novamente, nem que seja de forma híbrida.

Em contrapartida, alguns desafios têm ganhado atenção de startups e empresas inovadoras para melhorar a realidade do passageiro. Aplicativos que facilitam pagamentos através de QR Code, por exemplo, chegaram aos corredores de ônibus e oferecem mais conforto ao usuário com mais diversidade na forma de pagamento da tarifa. Outro recurso de extrema utilidade é poder acompanhar a trajetória do ônibus e saber como gerenciar o tempo até a chegada no ponto.

“Recursos como estes amenizam o caminho de quem utiliza o ônibus como meio de transporte diariamente. Hoje os usuários têm facilitadores na palma das mãos que permitem consultas de linhas existentes, horários, rotas, itinerários e até mesmo realizar o pagamento da passagem com o QR Code. Apesar de ser um problema desafiador extremamente complexo, a tecnologia tem ajudado o usuário a lidar com a rotina de uma forma um pouco mais leve“, comenta Rodrigo Petroni, CEO da UPM2, startup paulista que desenvolve soluções para mobilidade urbana.

Apesar de inúmeros problemas, optar pelo ônibus pode gerar benefícios para quem está acostumado a ir ao trabalho de carro. O executivo listou 3 motivos para convencer você a deixar o carro na garagem e ir ao trabalho de ônibus:

  • Economia: O deslocamento por meio de ônibus é, sem dúvidas, mais econômico do que transitar com o veículo particular. “Muitas pessoas colocam apenas na ponta do lápis a gasolina utilizada para o transporte, quando há outros gastos que não são contabilizados. Mesmo com ajuda de custo das empresas, há o gasto com estacionamento, pedágio (se houver dentro da cidade) e manutenção do carro, que deve ser mais frequente com o uso diário do veículo”, comenta Petroni.
  • Menos trânsito: algumas cidades estimulam o uso do transporte público com corredores exclusivos para ônibus em horários de pico, o que reduz o tempo de viagem. De acordo com um levantamento da empresa Scipopulis em parceria com o Instituto de Políticas de Transporte & Desenvolvimento (ITDP Brasil), a solução pode reduzir a duração das viagens em até 30% nos trajetos em regiões movimentadas. Além disso, não há preocupação em encontrar algum lugar para estacionar o carro.
  • Sustentabilidade: As mudanças na forma de locomoção das pessoas no transporte do coletivo ao invés do individual podem reduzir o número de carros na rua, o que, consequentemente, reduz a emissão de poluentes na atmosfera. De acordo com o Monitor de Ônibus SP, do Instituto de Energia e Meio Ambiente (IEMA), houve um crescimento no número de ônibus na cidade de São Paulo que poluem menos o meio ambiente.

Sobre a UPM2

Cofundada por Rodrigo von Uslar Petroni, a UPM2 é uma startup paulista que desenvolve soluções para mobilidade urbana. Seu propósito é oferecer aos usuários do transporte público, um Super Aplicativo de Mobilidade Urbana que concentra diversas funcionalidades, que vão desde a possibilidade de pagar a tarifa de transporte público por meio do QR Code, até uma conta digital, permitindo a inclusão social de uma grande parcela da população que ainda é desbancarizada.

Deixe seu comentário