23 C
São Paulo
sexta-feira, fevereiro 23, 2024

Posto de Apoio à Mulher no Terminal Sacomã chega ao primeiro ano

No primeiro ano de funcionamento do Posto de Apoio à Mulher no Terminal Sacomã, inaugurado pela Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Executiva de Transporte e Mobilidade Urbana (SETRAM), da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania e da SPTrans, em 8 de março de 2021, 77 vítimas foram atendidas.

Nesse período, a maior parte das mulheres que procuraram o posto foram vítimas de violência doméstica: 27. Os outros atendimentos prestados foram: orientações (23); violência psicológica (11); jurídico (5); assédio moral (3); importunação sexual (2); acolhimento (2); saúde mental (2); abuso sexual (1); auxílio aluguel (1).

O Posto de Apoio à Mulher funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, com atendimento realizado por assistente social da SMDHC e triagem realizada por funcionária da SPTrans, e quando necessário há encaminhamento à Casa da Mulher Brasileira, equipamento de referência na prestação de serviços às mulheres, que contam com apoio psicológico e jurídico.

O espaço tem aproximadamente 5 metros quadrados, incluindo uma sala reservada para atendimento sigiloso. Há também espaço com livros infantis e material para crianças, enquanto a mulher é atendida.

Campanha

Desde o dia 8 de março de 2021, Dia Internacional da Mulher, foi iniciada a campanha Ponto Final ao Abuso Sexual nos Ônibus de São Paulo, uma ação da Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Executiva de Transporte e Mobilidade Urbana (SETRAM) e da SPTrans, para tornar o transporte por ônibus cada vez mais seguro e confiável. A SPTrans mantém a campanha no Jornal do Ônibus, em adesivos e em suas redes sociais com orientações e informações sobre o tema. Ônibus adesivados também circulam pela cidade com o título da campanha.

Treinamento

Implantado em 2017, o Viagem Segura é um programa que tem o objetivo de melhorar a competência dos profissionais que atuam na “ponta” do sistema de transporte público, ou seja, motoristas, cobradores(as) e fiscais com temas como Segurança Viária, atendimento aos passageiros, entre outros.

A SPTrans aborda o assunto abuso sexual no programa e a orientação, neste caso, é que os operadores devem chamar a polícia ou conduzir o ônibus até a delegacia mais próxima, se possível, onde a vítima poderá registrar o boletim de ocorrência e receber amparo das autoridades policiais.

Em 2019, foram treinados 35.025 profissionais. Em 2020, 5.832 pessoas foram treinadas, das quais 3.828 no treinamento de ingresso que abrange o conteúdo de abuso sexual. Em 2021, devido à pandemia, os treinamentos ficaram suspensos até outubro, após este período 4.981 operadores já foram treinados.

Ainda em 2020, a SPTrans elaborou e aplicou o treinamento para 49 profissionais dos RH’s das empresas operadoras “Formação de Multiplicadores – Abuso Sexual nos Transportes”.

Canal de denúncia 156

O 156 é o canal de denúncia oferecido pela Prefeitura. A vítima do abuso sexual no ônibus pode ligar para o 156, digitar 0, e terá sua denúncia registrada. Os dados da denúncia serão repassados pelo 156 à SPTrans, que realizará o mapeamento dos casos de abuso no transporte coletivo para colaborar com as investigações por parte das autoridades policiais e verificar se os operadores adotaram os procedimentos corretos.

Deixe seu comentário

MOBILIDADE SAMPA

Siga o Mobilidade Sampa nas redes sociais e fique informado sobre a mobilidade urbana de São Paulo e Região Metropolitana:

  • Twitter
  • Instagram
  • Telegram
  • Facebook
  • YouTube
  • LinkedIn
  • Mobilidade Sampa
    Mobilidade Sampahttps://mobilidadesampa.com.br
    O Mobilidade Sampa produz conteúdo sobre a mobilidade urbana de São Paulo e Região Metropolitana. Deseja entrar em contato conosco para sugestões de pauta ou anunciar? Envie um e-mail para contato@mobilidadesampa.com.br.

    ÚLTIMOS POSTS

    SIGA-NOS

    6,317FollowersFollow
    28,236FollowersFollow
    439SubscribersSubscribe
    PUBLICIDADE

    ÚLTIMOS POSTS