Seguros SURA apoia a prevenção no trânsito para combater acidentes

Fator humano ainda é determinante para acidentes de trânsito no Brasil

49
Trânsito Rua
Foto de Nabeel Syed por Unsplash

Ainda que o Brasil tenha avançado no combate aos acidentes no trânsito com a Lei Seca, que reduziu a ingestão de álcool permitida no volante, a segurança nas ruas e estradas ainda não foi alcançada pelos brasileiros. Segundo o estudo de 2019 da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil se encontra como o quarto país do mundo com mais mortes no trânsito.

Sabendo disso, a Seguros SURA promove uma série de ações e treinamentos para capacitar motoristas no trânsito e levar segurança para a cidade e rodovias. Exemplo disso foi a campanha de conscientização do Maio Amarelo, com vídeos educativos ao longo de todo o mês de maio, no propósito de mobilizar as pessoas para um trânsito mais seguro.

Para o responsável pela área de Administração de Riscos da Seguros SURA, Diego Degan, quando se trata do transporte de cargas para as empresas, “o prejuízo com a mercadoria é o menor, porque o produto não chegar na gôndola é um prejuízo incomensurável, mas a vida daquele indivíduo é algo para o qual não existe preço”.

Segundo ele, existem meios para podermos observar quando uma morte por acidente no trânsito está para chegar, por meio da frequência de sinistros dentro da rota. E o controle de acidentes é possível de ser feito controlando os desvios e reduzindo os comportamentos imprudentes, que é a base da pirâmide. Dentre esses comportamentos, além do consumo de bebidas alcóolicas, está a falta de atenção, a desobediência à sinalização e a alta velocidade.

A atuação da SURA pôde ser ainda mais notada em um dos seus cases de sucesso. Trabalhando em uma grande operação de produtos de higiene a nível nacional, a SURA reduziu uma frequência de 18 sinistros, que era vista entre os anos de 2017 e 2018, à frequência de 8 sinistros entre 2019 e 2020; tudo isso por meio de workshops, conversas e treinamento com os motoristas.

Os motoristas da operação foram divididos em profissionais bons, regulares, e os que deveriam ser capacitados novamente, com base em metodologias de pontuação. Em 2018, a média de bons motoristas era de 48%. Em 2020, esse percentual chegou a 84%. Os motoristas regulares, que correspondiam a 40% em 2018, representavam apenas 15% em 2020.

Para a SURA, a segurança num trajeto, transporte ou operação depende de um veículo seguro, vias adequadas, cargas bem condicionadas e amarradas, ambiente salutar, boa técnica do condutor do veículo e o fator humano, ou seja, as condições emocionais daquele motorista para dirigir. Por isso, recomenda que os profissionais:

  1. Se mantenham dentro dos limites de velocidade;
  2. Não consumam bebidas alcóolicas na direção;
  3. Obedeçam às leis de trânsito;
  4. Descansem adequadamente;
  5. Realizem as manutenções do veículo em dia;
  6. Ao notarem qualquer problema na carga, estacionem em um local seguro e entrem em contato com os responsáveis operacionais.

Deixe seu comentário