O que mudou na mobilidade em São Paulo nos últimos anos?

137

Se você pretende viajar para São Paulo ou tem intenção de morar na maior capital do Brasil, é importante conhecer mais detalhes sobre como funciona a mobilidade urbana do local. Dessa forma, poderá avaliar com mais clareza se a região é adequada para as suas necessidades.

A partir de agora, de acordo com dados divulgados pela Prefeitura de São Paulo, detalharemos como funciona o transporte de carros, metrô, trem e bicicleta na cidade.

Carros

A cidade de São Paulo trabalha com o sistema de rodízio de carros.

De acordo com o final de placa e dia da semana (veja a tabela abaixo), os veículos não poderão circular nas ruas e avenidas internas ao chamado Mini-Anel Viário, inclusive.

rodízio suspenso tabela rodízio tabela do rodízio municipal

Por isso, se você precisa sair da residência todos os dias da semana, o mais indicado é utilizar o transporte público ou ter mais de um carro com finais de placas diferentes. É fundamental deixar claro que a cidade contém uma ótima frota de táxi e aplicativos de transporte.

De acordo com o jornalista, Matheus de Azevedo, 32 anos, a mobilidade é um dos pontos-chave da região. “Recentemente, mudei para São Paulo e estou impressionado com a quantidade de opções de transporte, seja público e privado, além do metrô. Realmente, nesse quesito, São Paulo é um destaque”, conta.

Ônibus

A frota paulista é uma das mais importantes do país. Para se ter uma ideia, ela contém 15 mil ônibus. No total, são 1.314 linhas: 832 trafegam por meio de concessão, enquanto 482 atuam com permissão. A estrutura tem capacidade para transportar cerca de três bilhões de passageiros anualmente, de acordo com dados da Prefeitura.

Metrô

O Metrô de São Paulo também merece destaque quando falamos de mobilidade. Ele contém 74,3 quilômetros de linhas ferroviárias. Veja abaixo as principais características dele.

  • Distribuído em cinco linhas, que são ligadas por 64 estações (58 operadas pelo Metrô e 6 pela ViaQuatro);
  • 7 estações de integração com a CPTM e 3 estações de transferência;
  • 900 carros (sendo 150 trens) que tem capacidade para transportar cerca de 900 mil usuários anualmente.

Trem

A Companhia Paulista de Trens Metrolitanos (CPTM) atua com seis linhas. Elas atendem a 23 dos 39 municípios da Região Metropolitana de São Paulo, além de três municípios a noroeste;

As cidades atendidas são: São Paulo, Caieiras, Franco da Rocha, Francisco Morato, Campo Limpo Paulista, Várzea Paulista, Jundiaí, Itapevi, Jandira, Barueri, Carapicuíba, Guarulhos, Osasco, São Caetano do Sul, Santo André, Mauá, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, Ferraz de Vasconcelos, Poá, Suzano, Mogi das Cruzes, Itaquaquecetuba.

Bicicletas

A cidade de São Paulo contém 684,0 quilômetros de vias para andar de bicicleta pela região. O ciclista ainda tem disponível 7.192 vagas em 72 bicicletários e 802 vagas em 29 locais com paraciclos. O mais interessante é que eles são integrados ao sistema de transporte da cidade.

Outro ponto interessante é que o ciclista pode levar a sua bike no metrô. O transporte é permitido de segunda a sexta, entre 10h e 16h e das 21h até o fechamento do sistema.

No sábado, domingo e feriado, o horário de funcionamento é das 4h40 à meia noite. É uma alternativa de transporte segura, econômica e que ainda não prejudica o meio ambiente.

Após descobrir o que mudou na mobilidade em São Paulo nos últimos anos, siga-nos nas redes sociais e conheça outras notícias importantes sobre a cidade.

Deixe seu comentário