Governo estadual anuncia retomada da produção de novos trens em fábrica da Alstom para o transporte sobre trilhos na capital paulista

A retomada, que só foi possível ao atender duas concessões do governo estadual, devem gerar 750 novos empregos

227
Alstom Taubaté
Foto: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo

O governador João Doria e o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, anunciaram nesta terça-feira, dia 5 de outubro de 2021, a retomada e ampliação da fábrica da Alstom, em Taubaté. A expansão só será possível com a aquisição de uma nova frota com 58 trens para linhas de metrô e trens de São Paulo. Com isso, cerca de 750 novos postos de trabalho serão abertos.

A compra dos novos trens faz parte do contrato da Alstom com as concessionárias Acciona – Linha Universidade (Linha Uni), responsável pela Linha 6-Laranja de metrô, e ViaMobilidade, vencedora da licitação das linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda do sistema de trens metropolitanos de São Paulo.

O aumento da produção industrial, propiciado pelas concessões metroferroviárias à iniciativa privada, fomenta o mercado de trabalho e favorece a geração de novos empregos.

“Essa é uma data muito importante, da retomada da produção nesta grande fábrica que, acreditando na região do Vale do Paraíba, no estado de São Paulo e no Brasil, aqui fez investimentos expressivos. E agora retoma com grande força, com cinco novos contratos nacionais e internacionais para fornecimento de mais 130 trens. Isso é o renascimento da indústria de trens no Brasil. Isso tem importância estratégica para o Brasil”, destacou Doria.

“O Estado de São Paulo mostrou que ao unir inovação, gestão e muito trabalho é possível trazer melhorias para o cidadão, a exemplo da retomada das obras da Linha 6-Laranja de metrô em São Paulo e também a concessão das linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda da CPTM para a iniciativa privada. Soluções como essas permitem melhorar o transporte como um todo para os passageiros, assim como gerar eficiência e boa notícias como a que demos hoje, que é a retomada e ampliação da fábrica da Alstom”, afirmou Alexandre Baldy, secretário dos Transportes Metropolitanos.

METRÔ E TREM

Para as linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda da rede de Trens metropolitanos de São Paulo, a fábrica da Alstom fornecerá 36 trens. As composições contarão com oito carros cada, portas e corredores que oferecerão excelente intercâmbio de passageiros e liberdade de movimento, além de espaços reservados para pessoas com mobilidade reduzida. A

s grandes janelas e portas proporcionarão uma visão clara do exterior, garantindo ao passageiro uma viagem tranquila, segura e confortável. Os trens também terão tecnologias modernas como contagem de passageiros, mapas dinâmicos de linhas, monitores, vigilância por vídeo, detectores e extintores de incêndio.

Diariamente, cerca de 1,1 milhão de passageiros serão transportados nas duas linhas, que atenderão, principalmente, a região sul da capital paulista e municípios do oeste da Região Metropolitana.

Já para a Linha 6-Laranja de metrô, serão fornecidos 22 trens, com seis carros cada, envolvendo montagem, equipamentos de tração e materiais, como portas, computação de bordo, sistemas de ar-condicionado e as suas respectivas garantias. A linha, que ligará o Centro à Zona Norte da capital paulista, deve transportar diariamente mais de 630 mil passageiros por dia.

CAPACITAÇÃO DE MÃO-DE-OBRA PARA NOVOS NEGÓCIOS

Para profissionalizar os futuros funcionários que atuarão na produção dos mais de 130 trens, sendo mais de 750 carros, a empresa também assinou parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – SENAI Taubaté. A partir de fevereiro de 2022, serão capacitados 600 profissionais pelo SENAI Taubaté em cursos de Fundamentos Básicos de Mecânica e de Logística, Fundamentos dos Processos de Fabricação e Fundamentos da Qualidade e Segurança.

Segundo Michel Boccaccio, vice-presidente Sênior da Alstom para a América Latina, é de extrema importância a Alstom continuar contribuindo para melhorar a vida das pessoas. “Investir no país e saber que a empresa é a responsável pela mobilidade de milhões de pessoas em grandes cidades como São Paulo, além de Taipei e Bucareste, é motivo de grande orgulho para todos os funcionários da Alstom no Brasil”. O executivo valoriza parceiros como SENAI, CCR, Acciona que confiam na gestão pautada em processos rígidos, resultando em produtos e serviços de alta qualidade.

A empresa terá oportunidades para ajudantes, operadores e montadores. “Este é também um investimento em pessoas, não apenas para a Alstom, mas para toda a comunidade, uma vez que as pessoas estarão capacitadas para atuarem em todas as empresas da região”, diz Ricardo Koga, diretor geral de Recursos Humanos da Alstom América Latina.

ALSTOM TAUBATÉ

Inaugurada em 2015, a unidade industrial da Alstom em Taubaté foi estrategicamente instalada em um polo industrial ao lado de duas importantes rodovias do país, a rodovia Presidente Dutra e a rodovia Carvalho Pinto, e próxima ao Porto de Santos, o maior complexo portuário da América Latina.

A planta foi projetada já com o grande desafio de produzir os carros do VLT do Rio de Janeiro, feitos em tempo recorde para as Olímpiadas do Brasil. O projeto foi o segundo no mundo a ter um sistema 100% livre de catenárias.

Depois do VLT, a unidade foi responsável pela produção dos carros do NS16 para o Metrô de Santiago, no Chile. Agora, após a transferência das atividades e de boa parte da instalação da antiga unidade da Alstom Lapa, Taubaté passa a ter a infraestrutura e referência da primeira fábrica de trens da história do setor ferroviário da América Latina, se preparando para um futuro próspero e repleto de oportunidades.

Deixe seu comentário