SPTrans faz pesquisa para saber opinião de passageiros sobre campanha contra abuso sexual

Enquete vai até 30 de setembro e pode ser respondida até 30 de setembro

90
Ônibus circulam pela cidade com o adesivo da campanha "Ponto Final ao Abuso Sexual nos ônibus de São Paulo" (Foto: Divulgação/SPTrans)

A SPTrans informou que está no ar a pesquisa de opinião dos passageiros sobre a campanha Ponto Final ao Abuso Sexual nos Ônibus de São Paulo. A enquete será feita por meio eletrônico até o dia 30 de setembro de 2021 e pode ser respondida por passageiros que utilizam o sistema de transporte por ônibus na cidade. Esta é mais uma ação da Prefeitura de São Paulo para tornar o transporte por ônibus cada vez mais seguro e confiável.

Desde março deste ano são veiculadas edições do Jornal do Ônibus com uma mensagem sobre o compromisso da SPTrans e seu empenho para acabar com esse tipo de violência no transporte público nos coletivos da frota da capital.

A edição do Jornal do Ônibus do mês de setembro convida os passageiros a participarem da pesquisa por meio de um QR Code, impresso no jornal, que oferece acesso ao questionário eletrônico. Essa edição será veiculada no período de 4 a 15 de setembro. O QR Code da pesquisa está impresso na edição 1.093 do Jornal do Ônibus e ficará nos coletivos até 15 de setembro. O resultado será divulgado em outubro e será usado para auxiliar a SPTrans na construção de novas campanhas.

São 16 questões, algumas de múltipla escolha, em que o passageiro detalha situações que pode ter presenciado ou vivenciado durante algum episódio de abuso sexual no ônibus.

Orientação

A SPTrans orienta que a vítima desse tipo de situação comunique o fato imediatamente ao cobrador (a) e ao motorista, que deve chamar a polícia ou conduzir o ônibus até a delegacia mais próxima.

Desde março foram quatro edições específicas do Jornal do Ônibus, afixado em toda a frota da capital paulista, e a SPTrans também faz postagens voltadas para o tema nas suas redes sociais e em cartazes distribuídos para todas as garagens das operadoras do sistema.

Além da campanha, a Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Executiva de Transporte e Mobilidade Urbana, da Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania e da SPTrans, inaugurou no dia 8 de março o Posto de Apoio à Mulher, localizado no mezanino do Terminal Sacomã, na Zona Sudeste. No local, mulheres vítimas de abuso sexual e violência doméstica tem acolhimento e atendimento qualificado.

Histórico de combate ao abuso no transporte

O combate ao abuso sexual no transporte público vem sendo um dos principais desafios da gestão da Secretaria Executiva de Transporte e Mobilidade Urbana e da SPTrans ao longo dos últimos anos, com foco no treinamento dos profissionais e trabalho conjunto com entidades do Poder Público, de segurança pública e da sociedade civil. Algumas das ações adotadas pela empresa recentemente estão elencadas a seguir.

Programa Viagem Segura

Implantado em 2017, o Viagem Segura é um programa que tem o objetivo de melhorar a competência dos profissionais que atuam na ponta do sistema de transporte público, ou seja, motoristas, cobradores (as) e fiscais com temas como a direção defensiva, prevenção de acidentes e atendimento aos passageiros.

A SPTrans aborda o abuso sexual nos ônibus no programa e a orientação, neste caso, é para que os operadores chamem a polícia ou conduzam o ônibus até a delegacia mais próxima, se possível, onde uma vítima pode registrar o boletim de ocorrência e receber amparo das autoridades policiais.

Em 2019, foram treinados 35.025 profissionais. Em 2020, 5.832 pessoas foram treinadas, das quais 3.828 no treinamento de ingresso que abrange o conteúdo de abuso sexual.

Ainda em 2020, a SPTrans elaborou e aplicou o treinamento para 49 profissionais dos RH das empresas operadoras “Formação de Multiplicadores – Abuso Sexual nos Transportes”.

Grupo de trabalho intersecretarial

O compromisso da Prefeitura de São Paulo em acabar com atos de abuso e importunação sexual nos ônibus foi reforçado durante o evento “Roda de Conversa – Ponto Final ao Abuso Sexual nos ônibus de São Paulo”, promovido pela Prefeitura de São Paulo, em parceria com as Secretarias Municipais de Mobilidade e Transportes e de Direitos Humanos e Cidadania, realizada no dia 6 de março de 2020.

Na oportunidade, foi firmado o Termo de Cooperação Intersecretarial com uma proposta de fortalecimento como ações que já são realizadas e ampliar o combate a essa prática e formas de aprimorar o atendimento às vítimas, como o encaminhamento a serviços especializados.

Após discussão com a sociedade, através de conselheiros do Conselho Municipal de Transporte e Trânsito (CMTT), com movimentos em defesa da mulher, do Banco Mundial da Polícia Civil, surgiu o grupo de trabalho Ações contra violência de gênero, raça e diversidade na mobilidade urbana, com o objetivo de adotar programas para redução das desigualdades de gênero e raça na mobilidade urbana. A Portaria Secretaria Municipal de Transportes – Gabinete 006 constituiu o Grupo de Trabalho e foi publicada no Diário Oficial no dia 1º de março.

Deixe seu comentário