Campinas: Setransp e Emdec recebem ciclistas para debater ciclofaixas na região da Avenida John Boyd Dunlop

29

Membros de grupos de ciclistas e do Conselho Municipal de Trânsito e Transporte estiveram na sede da Setransp e da Emdec no início deste mês, para dialogar sobre a proposta de implantação de quatro ciclofaixas na região da Avenida John Boyd Dunlop, em Campinas. Neste primeiro encontro, eles puderam conhecer o planejamento voltado à região, esclarecer dúvidas e dar sugestões às áreas técnicas da Emdec. Novas reuniões com outros grupos acontecerão a partir da próxima semana.

A proposta apresentada pela Setransp e Emdec considerou três premissas: integração dos trechos cicloviários com estações e terminais de transporte coletivo; proximidade com pontos de interesse, como escolas, serviços e centros de saúde; e ligação entre rotas de ciclovias. A partir delas, já são planejadas quatro novas ciclofaixas: Florence – Pirelli, 4 quilômetros; Garcia – Londres, 2 quilômetros; Aurélia, 1 quilômetro; e Pirelli – Satélite Iris, 700 metros (extensões aproximadas).

“A ideia é interagir com o setor para apresentar propostas da Setransp e da Emdec sobre o sistema cicloviário na região da Avenida John Boyd Dunlop e colher contribuições dos ciclistas”, explicou o secretário de Transportes, Vinícius Riverete.

O presidente da Emdec, Ayrton Camargo e Silva, ressaltou: “A nossa visão de ciclovia compreende o uso da bicicleta como transporte cotidiano, de forma que atenda aos bairros e promova a integração com o sistema de transporte público coletivo e a melhora do meio ambiente”.

Cicloativistas compartilharam experiências e sugestões

Representando os ciclistas, participaram Irineu Ramos, coordenador do Pé na Estrada Bike Clube; Lucas Guimarães Felipe, representante da região Noroeste no Conselho Municipal de Trânsito e Transporte e membro do Coletivo de Ciclistas de Campinas, do Bike Anjo Campinas e Massa Crítica Campinas; e Glauco Azevedo, presidente do Ciclo Ativo Campinas e membro do Conselho Municipal de Meio Ambiente.

O coordenador do Pé na Estrada Bike Clube destacou que essa é uma reivindicação antiga dos ciclistas, e que esta primeira reunião é o início de um trabalho em conjunto. “Vamos tentar conciliar as propostas. Ou seja, encaixar aquilo que é demanda dos ciclistas na viabilidade do poder público, porque há também uma preocupação muito grande em fazer ciclovias seguras”.

Lucas avaliou a iniciativa como positiva: “Foi uma coisa muito boa, abrir para a gente poder compartilhar a nossa experiência”. “Às vezes, a estrutura é feita por quem não pedala. A ideia é que a gente possa contribuir”, disse.

Para Glauco, os resultados dessa contribuição trarão impactos positivos à implantação das ciclofaixas. “A gente percebe que existe a intenção da perenidade no projeto. Isso é muito interessante, porque a gente começa a se sentir parte do projeto, desperta o espírito de pertencimento do ciclista, e isso faz com que ele tenha mais sucesso, porque todos estão colaborando”.

Devido ao caráter multidisciplinar do planejamento das ciclofaixas, participaram do encontro representantes de diversas áreas da Emdec, como a chefia de gabinete, a gerência de Educação para a Mobilidade, e as diretorias de Operações e de Planejamento e Projetos. A reunião também contou com a presença do secretário municipal de Esportes e Lazer, Fernando Vanin.

Deixe seu comentário