Santos reduz mortes no trânsito em mais de 50% no primeiro semestre

44
Trânsito Santos
Foto: Prefeitura de Santos

A cidade de Santos, no litoral paulista, encerrou o primeiro semestre do ano com redução de mais de 50% nas mortes no trânsito. Até o final de junho, o acumulado de fatalidade nas vias municipais indicava oito óbitos, contra 17 nos primeiros seis meses de 2020 – queda de 52,9%

Na trajetória decrescente deste ano, em dois meses (janeiro e junho), a cidade não registrou nenhuma morte. Os dados constam do relatório do Infosiga, base de dados do Programa Respeito à Vida, do Governo do Estado de São Paulo.

A comparação entre os dois semestres mostra, ainda, que a principal redução de mortes, por tipo de veículo, se deu nos acidentes envolvendo motocicletas: de sete óbitos (2020) para três (2021). A prevalência do sexo masculino permanece e os homens corresponderam a 75% das vítimas nas ocorrências fatais neste ano.

O presidente da Companhia de Engenharia de Tráfego de Santos, Antônio Carlos Silva Gonçalves, observa que a queda da fatalidade no trânsito ocorre mesmo diante do aumento da circulação de veículos e pessoas, por conta da maior flexibilidade para as atividades dentro do plano de enfrentamento à pandemia do coronavírus.

“Temos sempre que buscar o índice zero de mortes. Mesmo que pareça algo impossível, o objetivo tem que ser esse. Nosso trabalho para maior conscientização de motoristas e pedestres é permanente. Continuamente também implantamos projetos para melhorias no sistema viário, além das ações diárias de fiscalização”, destaca ele.

INICIATIVAS

No campo da engenharia de tráfego, foram várias as iniciativas implementadas pela Companhia de Engenharia de Tráfego. As medidas incluem instalação de lombadas e faixas elevadas (combinação de lombada e faixa de pedestre), mais cruzamentos com rotatórias, revitalização da sinalização de trânsito, implantação de corredores de fluidez e de faixas para o transporte coletivo e alteração no sentido de direção de vias, entre outras intervenções.

A empresa também adotou nova dinâmica da campanha Faixa Viva, cujo objetivo maior é a harmonização entre pedestre e condutores com a conscientização de ambos os segmentos sobre a prioridade de travessia de caminhantes nas faixas de segurança onde não há semáforo. Em 10 anos de ações (data celebrada em maio passado) os atropelamentos reduziram 28%.

Deixe seu comentário