Campinas abre licitação para sistema de Zona Azul Digital

49
Zona Azul Campinas Interior
Foto: Divulgação/Prefeitura de Campinas

A Prefeitura de Campinas publicou no dia 27 de agosto de 2021, abertura de licitação para a Zona Azul Digital. O novo sistema irá contemplar a operação das atuais 1,8 mil vagas existentes no Centro e no Guanabara. Não haverá ampliação de vagas.

A Zona Azul Digital deverá ter múltiplas formas de pagamento, por aplicativo e pela rede credenciada. O valor da tarifa de estacionamento será mantido em R$ 4 (fixo), com tempo de permanência determinado pelo local e região, que pode ser de 1 hora, 2 horas ou 5 horas.

“Esse é mais um passo na direção da modernização do atual sistema, que é da década de 1990. Com a digitalização, iremos substituir o talonário de papel e o usuário terá mais comodidade, por meio de variadas formas de pagamento. A Administração também terá maior controle sobre a venda e correta utilização dos espaços”, afirma o secretário de Transportes, Vinícius Riverete.

A fiscalização do uso correto das vagas será realizada pelos agentes da Mobilidade Urbana da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec) e, também, por veículos com leitor automático de placas.

“Nosso principal objetivo é fazer com que essas vagas sejam utilizadas por quem realmente precisa e ampliar o uso, aumentando a rotatividade e evitando fraudes. Trata-se de uma importante inovação tecnológica para o serviço, com mais comodidade para os usuários”, destaca o presidente da Emdec, Ayrton Camargo e Silva.

Também está prevista a implantação de uma Central de Controle e Monitoramento. A licitação será por meio de pregão eletrônico, com menor preço.

Zona Azul

O atual Sistema de Estacionamento Rotativo de Campinas (Zona Azul) foi implantado em 1995. O sistema disponibiliza cerca de 1,8 mil vagas, divididas entre as regiões central e do Guanabara.

Na região central, as vagas estão distribuídas no trecho que compreende as vias Júlio de Mesquita, Doutor Moraes Salles, Irmã Serafina, Aquidaban, João Jorge, Andrade Neves, Orosimbo Maia, Anchieta e Barreto Leme.

Já no Guanabara, a Zona Azul atinge a Avenida Barão de Itapura, as ruas José Paulino e Prefeito Passos, além da Praça Mauá e a Rua Mário Siqueira.

Cada local tem um tempo determinado de permanência, que pode ser de 1 hora, 2 horas ou 5 horas. Para utilizar o sistema, o motorista paga o valor único e fixo de R$ 4 pelo atual cartão da Zona Azul.

Deixe seu comentário