Prefeitura de São José dos Campos recebe proposta para operação do transporte coletivo

979
VLP São José Campos
Foto: Divulgação/Prefeitura de São José Campos

A Prefeitura de São José dos Campos realizou no dia 7 de julho, a abertura dos envelopes com as propostas para o edital de concorrência pública internacional que trata da operação do novo transporte coletivo municipal. Os editais que tratam da gestão financeira e tecnologias do sistema continuam abertos e irão receber as propostas até o mês de agosto.

No certame, a empresa Itapemirim Group Ltda apresentou proposta para os dois lotes (1 e 2) do edital de operação. Agora, o plano de negócios apresentado pela empresa será analisado pela Comissão de Licitações da Prefeitura. Se for validado, a proposta será publicada e aberto o prazo para a apresentação de recursos.

Após o prazo de recursos, será publicada uma nova data para a abertura dos envelopes de habilitação, quando são analisadas as documentações referentes à empresa. Na sequência, acontecem as etapas de publicação do resultado dessa análise, abertura de prazo para recurso e homologação da licitação para a assinatura de contrato.

No lote 1, que contempla as regiões norte, oeste e sul, a empresa apresentou a proposta de R$ 4,98 de tarifa técnica e para lote 2, regiões leste e sudeste, R$ 4,72. Os valores estão abaixo das tarifas técnicas propostas no edital, que são de R$ 5,24 no lote 1 e R$ 4,94 no lote 2.

Além do edital de operação, a Prefeitura também publicou os editais de concorrência pública internacional que tratam da gestão financeira e tecnologias do novo modelo de transporte coletivo, com a apresentação das propostas previstas para os dias 22 de julho e 9 e 10 de agosto. Os documentos estão disponíveis para consulta no site da Prefeitura.

Modelo inovador

O futuro modelo de concessão é inovador justamente por separar a operação, tecnologia e o financeiro. O objetivo com essa divisão é ter empresas especializadas em cada uma das áreas e elevar a qualidade e modernização do serviço. O modelo proposto para o transporte coletivo de São José dos Campos tem sido referência para outros municípios e divulgado em outros países.

O edital de operação, por exemplo, traz características como o aumento de frota, quantidade de viagens e o transporte sob demanda. O aumento de frequência, que na prática representa mais opções de itinerários e menor tempo de espera nos pontos, só foi possível com a alteração do perfil da frota e os conceitos aplicados para a operação.

Atualmente, a maior parte da frota de 389 veículos é do tipo convencional. Para a futura operação, serão 557 veículos distribuídos em cinco modelos: vans, micro-ônibus, padron e superarticulado, além dos VLP’s (Veículos Leves sobre Pneus).

A quantidade de linhas também irá aumentar das atuais 101 para 112, o que irá permitir um aumento na oferta das atuais 6.798 viagens para 9.892, um acréscimo de 43%. Esse aumento de frota e diversificação nos tipos de veículo garantem um atendimento mais personalizado e permite a otimização do sistema.

Demanda

Esse novo conceito de operação do sistema traz ainda a implementação de linhas responsivas à demanda, com a flexibilização parcial dos itinerários e das partidas. Esse modelo de transporte sob demanda é novo no país e surge para competir com o transporte individual.

Na prática, os passageiros poderão por meio de aplicativo, assim como acontece atualmente com as empresas de transporte individual, solicitar uma viagem que terá tarifa fixa integrada ou variável.

Maior conforto

Com veículos novos, mais modernos e menos poluentes, parte da nova frota oferecerá Wi-Fi gratuito, tomadas USB para carregamento de celulares, além de veículos com ar condicionado para atender os bairros mais distantes.

Menor tarifa

Diferentemente do contrato atual, vencido pela empresa que apresentou a maior outorga ao município, a futura concessão terá como vencedora a empresa ou consórcio que apresentar a menor tarifa técnica.

Além disso, ações como a separação dos serviços de operação e tecnologia e investimentos vindos de outras fontes de recursos – como a aplicação de R$ 9,2 milhões arrecadados com a concessão da Zona Azul – ajudam a amenizar o valor da tarifa cobrada do cidadão, permitindo a entrega de um serviço com mais frequência de ônibus e maior conforto para os passageiros com um valor mais baixo de tarifa.

Deixe seu comentário