Plano de Mobilidade Urbana de Santo André entra na fase de pesquisas de campo com a população

Estudo definirá parâmetros para as políticas públicas nesta área para os próximos anos

2100
Plano Mobilidade Santo André
Foto: Helber Aggio/Prefeitura de Santo André

A construção do Plano de Mobilidade Urbana de Santo André, que integra o Programa de Mobilidade Urbana Sustentável, está em andamento. A consolidação deste plano servirá como balizador das políticas públicas para a pauta em questão, seja no transporte público, na fluidez do trânsito e na circulação de pessoas de um modo geral, além dos investimentos que estão em andamento e que serão executados futuramente na cidade.

“A nossa cidade tem um papel fundamental e é estratégica do ponto de vista econômico e da mobilidade. Somos um importante corredor viário para o transporte de cargas e isso faz com que sejamos protagonistas regionais no desenvolvimento de políticas públicas que melhorem a mobilidade e a vida das pessoas. Em Santo André importantes obras viárias saíram do papel, como a duplicação do viaduto Adib Chammas, o complexo Santa Teresinha, além da construção de corredores de ônibus”, destacou o prefeito Paulo Serra.

A primeira etapa do Plano de Mobilidade Urbana, denominada Pesquisa Origem e Destino, está em andamento e é realizada por meio de entrevistas com 3.000 munícipes em seus domicílios, e que servem para identificar as características das viagens realizadas diariamente, os meios de transporte utilizados, sejam motorizados ou não. Além das informações necessárias para a caracterização das viagens, deverão ser obtidas informações a respeito das condições socioeconômicas das pessoas, para permitir a verificação da representatividade da amostra e para a modelagem da demanda.

Na quarta-feira, dia 14 de julho de 2021, os pesquisadores entraram em uma nova etapa do plano, a Pesquisa de Transferência em Terminais, que aconteceram em dois locais: na estação Santo André da Linha 10-Turquesa da CPTM e no Terminal Oeste da EMTU, ambos na região central. Já na quinta-feira, dia 15 de julho, a pesquisa denominada Cargas Perigosas mapeou cinco cruzamentos da cidade durante todo o dia, para aferir a quantidade de caminhões que circulam nos locais, quantidade de eixos, horários de circulação e tipo de carga transportada.

Diagnóstico

O Plano de Mobilidade Urbana vai construir um mapeamento e diagnóstico da situação atual da mobilidade urbana de Santo André, dentro do contexto urbano da Região Metropolitana de São Paulo. Este prognóstico balizará as ações no curto (5 anos), médio (15 anos) e longo prazos (25 anos), promovendo propostas para melhoria das condições de circulação de pessoas e de cargas, bem como a integração entre os diferentes modos de transporte (sistemas urbanos de transporte público, pedestres, cicloviário, metroferroviário, distribuição de carga).

A Secretaria de Mobilidade Urbana de Santo André firmou contrato em janeiro deste ano entre o município e a empresa Oficina – Engenheiros Consultores Associados Ltda. A contratação tem vigência de 24 meses e se refere à elaboração do Plano de Mobilidade Urbana do Programa de Mobilidade Sustentável de Santo André. A proposta integra o pacote de exigências do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que financia obras e projetos de mobilidade em Santo André.

O projeto integral financiado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento abrange ainda a duplicação do viaduto Antônio Adib Chammas (já entregue), a obra do complexo Viário Santa Teresinha, e a qualificação e construção de quatro quilômetros de corredores municipais de transporte.

Deixe seu comentário