70% dos usuários de aplicativo acreditam que há preconceito contra pessoas LGBTQIA+, revela pesquisa

Usuários LGBTQIA+ declaram tomar cuidado ao andar na rua, frequentar lugares públicos ou utilizar transporte público para não sofrer homofobia; Para se locomover com segurança, as pessoas preferem carros por aplicativo; Guia da Comunidade 99 tem ajudado a criar um ambiente de respeito entre motoristas e passageiros com dicas práticas para contribuir no combate à LGBTI+fobia

40
Aplicativo de Transporte Carros
Foto de Humphrey Muleba por Unsplash

Uma pesquisa com usuários de aplicativo mostrou que 70% dos entrevistados reconhecem que existe preconceito contra a comunidade LGBTQIA+ no país. No entanto, apenas 6% deles admitem que são preconceituosos.

O estudo foi feito com o objetivo de compreender os lugares mais temidos por eles e como a plataforma tem atuado com o Guia da Comunidade 99 para educar motoristas e passageiros, e propagar mais respeito na plataforma para viagens mais seguras.

O levantamento foi realizado pela Didi Chuxing – 99 com 511 pessoas, usuários de aplicativo em todo o país (da 99 e de outras plataformas), entre os dias 19 e 22 de junho. Deste total, 95 se declararam parte da comunidade LGBTI+ e, dentro desse cenário, revelou-se a grande preocupação da comunidade com a violência e a insegurança nas ruas.

Mais da metade dos respondentes concordam que pessoas LGBTQIA+ teriam mais chance de serem agredidas fisicamente na rua (79%), sofrer algum tipo de humilhação (78%) ou serem abordadas de forma violenta (63%). Isso se reflete diretamente no direito de ir e vir, uma vez que a amostragem indica que a atenção é redobrada quando eles precisam andar na rua (57%), frequentar lugares públicos (55%) ou utilizar meios de transporte (49%), inclusive, 54,7% afirma já ter sofrido preconceito em coletivos.

Para se locomover com segurança, o carro por aplicativo (35,8%) é o modo de transporte mais seguro, depois do carro próprio (67,4%). “As pessoas têm muito medo de ir e vir, se sentem expostas e hoje o carro por aplicativo é o lugar que elas podem se locomover de forma mais segura”, comenta Pamela Vaiano, Diretora de Comunicação e Responsabilidade Social da 99.

O estudo também mostrou que 72,9% das pessoas entrevistadas, LGBTQIA+ ou não, concordam que o combate à homofobia é um papel de todos. Isso pode ser visto quando foram questionados sobre o que poderia ser feito para melhorar esse cenário: 62,6% gostariam de ver mais campanhas de conscientização para ajudar a criar uma sociedade mais tolerante, enquanto 46% acreditam que a solução é ter educação sobre diversidade nas escolas.

59% dos casos de violência são causados por falta de respeito entre os usuários do aplicativo

Para promover mais respeito, empatia e segurança nas viagens pelo aplicativo, a 99 investe continuamente em educação. Além da conscientização, mais de 190 profissionais especializados trabalham 24 horas por dia e sete dias por semana por semana para oferecer atendimento humanizado e aplicar punições contra o agressor, quando necessário, que pode incluir bloqueios e apoio às investigações.

Estão disponíveis cursos online abertos a 100% dos motoristas com foco em diversidade e cidadania. O conteúdo foi feito por uma plataforma especializada em educação digital com a curadoria de especialistas no assunto. A empresa também desenvolveu o Guia da Comunidade 99, em parceria com o Instituto Ethos para fomentar direitos, deveres e comportamentos entre os usuários do aplicativo.

Hoje, desrespeito e brigas são as causas de 59% das ocorrências em corridas por aplicativo. Para diminuir esse número, além de evitar novas ocorrências, o documento orienta motoristas e passageiros sobre qual é o comportamento esperado pela plataforma, tais como tratar pessoas LGBTQIA+ com educação, independentemente da orientação ou identidade sexual, respeitar o nome social de pessoas transsexuais, ter cuidado com o linguajar para não parecer ofensivo, evitar brincadeiras, piadas ou comentários que possam ser considerados preconceituosos, entre outros. O documento está disponível online em Guia da Comunidade 99, além de ser divulgado para toda a base do aplicativo.

“Para nós, compreender as diferenças é fundamental para praticar e incentivar o respeito a todas as pessoas, inclusive a comunidade LGBTI+. O Guia vai sensibilizar e mobilizar as pessoas dentro de um único objetivo, o respeito, que deve prevalecer sempre. Por isso, não toleramos qualquer caso de discriminação, chegando a aplicar bloqueios, além de apoiar investigações das autoridades, se necessário”, diz a diretora.

Denúncias de casos de LGBTQIA+fobia durante as viagens na 99 devem ser feitas pelo aplicativo ou pela Central de Segurança da 99 no telefone 0800-888-8999. Pela central telefônica o usuário receberá informações sobre o que fazer e quais medidas serão tomadas.

Deixe seu comentário