Brasil ganha 1º anuário sobre mobilidade elétrica

Realizado pela Plataforma Nacional de Mobilidade Elétrica, a publicação do 1º Anuário busca contribuir para o implemento de políticas públicas para o setor

164
Carro elétrico
Foto de Tommy Krombacher por Unsplash

Aconteceu em março o lançamento do primeiro Anuário Brasileiro de Mobilidade Elétrica, publicação da Plataforma Nacional de Mobilidade Elétrica, que apresenta amplo panorama do setor no País e tem o propósito de gerar conhecimento para estimular o crescimento do mercado, fomentar a capacitação profissional e oferecer bases ao desenvolvimento de políticas públicas para o tema.

Para acessar o conteúdo do evento de lançamento, clique aqui. Já a íntegra do Anuário pode ser acessada aqui.

Ao todo, são 180 páginas repletas de informações que contribuem para a pesquisa e o desenvolvimento tecnológico, além de aumentar o sincronismo com organizações da sociedade civil que tratam da mobilidade elétrica.

Segundo o coordenador-executivo da Plataforma Nacional de Mobilidade Elétrica, Marcus Regis, o Anuário foi elaborado ao longo de meses de trabalho, com a contribuição de vários especialistas.

“O estudo foi construído para gerar um panorama abrangente desta pauta tão fundamental para o desenvolvimento sustentável do Brasil”, afirma.

Destaques

Dentre os destaques do material, pode-se elencar alguns pontos importantes como as iniciativas de empresas e organizações; os modelos de negócio de países vizinhos – e como estes podem ajudar a direcionar o caminho no Brasil, onde algumas cidades já ensaiam pilotos; dados sobre o tamanho do mercado, crescimento nos últimos anos, os tipos e modelos de veículos mais procurados no país e o mercado por região; além de um amplo estudo sobre as iniciativas de articulação de companhias e a governança que se encontram em curso.

Também é apresentado um panorama dos impactos da pandemia de Covid-19 para o setor no país, principalmente dentro da perspectiva econômica.

A publicação conta com diversos dados que compõem o contexto atual do setor, como, por exemplo, o crescimento do mercado brasileiro de mobilidade elétrica ou mesmo o volume dos veículos a combustão. Também traz números como a concentração de veículos elétricos no Brasil, com destaque para as regiões Sul e Sudeste.

Mesmo com números bem abaixo em relação aos países líderes, 2019 foi relevante para o mercado nacional da mobilidade elétrica brasileira. O ano contou com registro de veículos elétricos leves de passageiros e comerciais três vezes maior, na comparação com 2018, passando de 3.418 para 11.205 unidades, conforme dados do Ministério da Infraestrutura de 2020.

Considerando 2007, ano de início dos registros, observa-se um aumento maior entre 2014 e 2016, chegando a 1.303 unidades e, 2017 e 2018, com patamar similar.

Estados líderes

A frota de veículos elétricos leves, nos Estados do Brasil, é concentrada em dez representantes, com maior concentração nas regiões sul e sudeste. O Estado de São Paulo se destaca em relação aos demais, sendo representado, no ranking, por 2 entre as 10 cidades líderes no País: a capital paulista e Campinas.

Municípios líderes na frota brasileira

Quanto aos municípios do País, conforme os dados do Ministério da Infraestrutura de 2020, referente ao período de 2017 a 2019, os quatro municípios mais bem colocados são: São Paulo, com 4041 unidades; Brasília, com 1086; Rio de Janeiro, com 991; e Curitiba, que contabiliza 761 unidades.

Além disso, o Anuário inclui três apêndices, que complementam o conhecimento sobre a produção, o mercado, a pesquisa, as políticas públicas e a atuação da sociedade civil em torno da pauta.

A publicação completa, disponibilizada gratuitamente em PDF, pode ser acessada no site da Plataforma Nacional de Mobilidade Elétrica.

Para mais informações, clique aqui.

Deixe seu comentário