Paralisação de ônibus fecha terminais em São Paulo

Os trabalhadores dos transportes reivindicam um cronograma de vacinação contra a Covid-19 e medidas para a redução da lotação nos coletivos

96
Protesto Terminais Motoristas
Foto: Divulgação/SindMotoristas

O Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo (SindMotoristas) realizou protestos em terminais de ônibus da capital paulista, por cerca de duas horas e meia, na manhã desta quarta-feira, dia 24 de março de 2021.

Os atos reivindicavam a definição de um cronograma de vacinação contra a Covid-19 para os trabalhadores e medidas para reduzir a lotação nos ônibus.

A entrada e saída de pelo menos 15 terminais de ônibus começaram a ser paralisadas por volta das 9h40 e foram liberadas por volta do meio-dia.

O Diário do Transporte apurou junto à SPTrans que os terminais afetados foram:

  • Terminal Vila Nova Cachoeirinha
  • Terminal Jardim Ângela
  • Terminal Santo Amaro
  • Terminal Pirituba
  • Terminal Pinheiros
  • Terminal Parque D. Pedro II
  • Terminal A. E. Carvalho
  • Terminal Capelinha
  • Terminal Sapopemba
  • Terminal Metrô Santana
  • Terminal Lapa
  • Terminal Guarapiranga
  • Terminal Campo Limpo
  • Terminal João Dias
  • Terminal São Miguel

“A equipe de fiscalização da SPTrans está trabalhando nas proximidades dos terminais para orientar os passageiros e permanece monitorando a operação das linhas a fim de auxiliar a população. Por esse motivo, a SPTrans irá entrar com uma ação judicial cautelar visando garantir o pleno funcionamento do sistema municipal de transporte coletivo público e seus terminais”, informou a SPTrans, durante o período de fechamento dos terminais.

Vacinação Terminais
Foto: Divulgação/SindMotoristas

Sindicato

O SindMotoristas divulgou um comunicado oficial onde informa sobre a realização dos protestos nesta quarta-feira e o apelo para vacinar os trabalhadores. Leia abaixo na íntegra:

“Após inúmeras reuniões sem êxito, o Sindmotoristas promoveu na manhã de hoje (24), atos de protestos em diversos terminais da capital. As ações, encabeçadas pelo deputado federal e presidente da entidade, Valdevan Noventa, visam chamar atenção das autoridades para sanar o problema da superlotação dos ônibus e garantir a vacinação da categoria, protegendo a saúde e a vida de todos.

Os atos – realizados nos Terminais Santo Amaro, Pinheiros, Parque Dom Pedro, Santana, Cachoeirinha, Capelinha, A. E. Carvalho, São Miguel, Sapopemba e Tiradentes – tiveram ampla cobertura da imprensa, que também tem noticiado com preocupação a situação calamitosa do transporte público.

O principal objetivo dos atos é fazer um apelo às autoridades pela inclusão da categoria no Plano de Vacinação, garantindo a proteção dos profissionais. ‘Os trabalhadores estão engajados no manifesto porque se preocupam com a vida. Trabalhar em um ambiente aglomerado é algo arriscado e perturbador, nossos profissionais lutam pela vacina, lutam pela saúde, lutam pela vida’, afirmou.

Mais de 20 mil assinaturas foram colhidas em um abaixo-assinado e protocolizadas na Secretaria da Saúde, Secretaria do Transporte e Câmara Municipal, apelando por prioridade nas vacinas, uma vez que a categoria tem trabalhado na linha de frente sem parar um único dia. ‘Foram mais de 400 trabalhadores da categoria. Em nossos levantamentos, mais de 1400 casos suspeitos. Pais e mães de família estão morrendo por irem trabalhar sem a menor atenção, cuidado e preocupação do Poder Público’, afirmou o presidente.”

Covid-19

O SindMotoristas informou ao Diário do Transporte que ao menos 82 profissionais dos transportes da cidade de São Paulo morreram de Covid-19, incluindo funções como motoristas, cobradores, fiscais de ônibus, entre outros.

De acordo com um levantamento da Secretaria da Saúde do sindicato, foram 433 casos confirmados e 1401 são suspeitos.

Mobilidade Sampa

Siga o Mobilidade Sampa no Twitter, Instagram e Facebook e fique informado sobre a mobilidade urbana de São Paulo e Região Metropolitana.

Deixe seu comentário