Marcopolo impulsiona mobilidade sustentável com ônibus elétricos e híbridos

Companhia conta com 370 veículos sustentáveis em diversos países. Outras 400 unidades circularão até 2022 na América Latina

716
VIX Marcopolo
Ônibus rodoviário elétrico BYD D9F em testes na VIX (Foto: Gian Carlos/Ônibus Brasil)

Após lançar o primeiro Veículo Leve Sobre Pneus (VLP) 100% elétrico do Brasil em São José dos Campos, em parceria com a BYD, e o primeiro ônibus rodoviário movido a eletricidade da região sul, no ano passado, a Marcopolo segue investindo em veículos com propulsão sustentável.

A companhia conta com 370 veículos elétricos e híbridos rodando em diversos países, incluindo Argentina, Austrália e Índia. No Brasil, são 75 veículos.

Até 2022, outras 400 unidades serão postas em circulação na América Latina.

A companhia vê nos modelos elétricos suma grande oportunidade para o desenvolvimento do transporte coletivo, já que há grande potencial para a adoção desses ônibus nos grandes centros, sobretudo veículos preparados para o carregamento de oportunidade – ou opportunity charger – que permite o rápido carregamento das baterias entre viagens.

“O transporte coletivo apresenta vantagens para a introdução de ônibus com propulsão elétrica uma vez que opera em sistema de ‘arranca e para’ – com um sistema de carregamento mais fácil e frequente, é possível equipá-los com baterias suficientes sem ocupar muito espaço ou tornar o veículo pesado”, explica o gerente de Engenharia de Planejamento e Produto da Marcopolo, João Magnabosco.

Recentemente, a divisão de inovação da Marcopolo, Marcopolo Next, anunciou, junto a Secretaria de Trânsito, Transporte e Mobilidade de Caxias do Sul, a implantação do Caxias Mobility Lab, para operar o primeiro sistema de mobilidade elétrica da cidade, com um ônibus elétrico integrado à infraestrutura de carregamento e monitorado 24 horas. O sistema está em período de testes, que devem ser concluídos no primeiro semestre de 2021.

A adoção de veículos com tecnologia limpa é uma tendência mundial. Para a Marcopolo, há um ambiente propício no mercado brasileiro para o desenvolvimento do transporte com propulsão elétrica, com provedores de energia dispostos a investir no sistema.

Além do benefício ambiental, a mobilidade elétrica tem custo operacional inferior se comparado ao diesel e a adoção tende a ser decisiva para um futuro sustentável.

Deixe seu comentário