EPL lança raio-x da mobilidade urbana brasileira em parceria com ANPTrilhos

O trabalho foi realizado em parceria com a ANPTrilhos, que forneceu dados do setor metroferroviário brasileiro

117
Mobilidade Urbana Levantamento
Imagem de RettungsgasseJETZTde por Pixabay

No ano passado, o Governo Federal aplicou mais de R$ 3 bilhões na infraestrutura de cidades, um aumento de 11% em relação ao ano de 2019.

É o que mostra o primeiro Boletim de Logística do Observatório Nacional de Transporte e Logística (ONTL) da Empresa de Planejamento e Logística (EPL) de 2021, que traz também números do aumento dos investimentos públicos federais em mobilidade e serviços urbanos durante a pandemia.

O trabalho foi realizado em parceria com a Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros Sobre Trilhos (ANPTrilhos), que reúne os operadores de sistemas de metrô, trem urbano e Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) de todo o Brasil e coleta informações periódicas junto aos seus associados.

Segundo a publicação do Observatório Nacional de Transporte e Logística, o aumento de aporte demonstra o compromisso do Governo Federal com a garantia e a continuidade da prestação dos serviços de mobilidade urbana.

As intervenções contemplaram a pavimentação de vias públicas, ciclovias, calçadas, pontes e obras de acessibilidade, objetivando contribuir com a melhoria da qualidade de vida dos moradores, com a trafegabilidade e impulsionar o desenvolvimento das localidades.

O Boletim também apresenta os números que contribuem para traçar um panorama sobre a mobilidade urbana no Brasil e a qualidade do serviço prestado ao passageiro. É possível verificar, por exemplo, que 28% dos trajetos feitos na cidade são em transporte coletivo.

Nesse cenário, 85% dessas viagens são feitas em ônibus. A frota operante é de 98 mil veículos, com idade média de cinco anos e 10 meses. Por outro lado, o transporte sobre trilhos (metrô e trem metropolitano) ainda se encontra concentrado em poucos estados.

Modernidade

Como alternativa de transporte sustentável, a bicicleta tem ocupado um papel de destaque. A permissão para o transporte de bicicletas em trens, como na cidade de São Paulo, facilita a integração do meio de transporte e contribui para desafogar o trânsito nas grandes cidades.

Em 2019, a produção de bicicletas no Brasil atingiu quase um milhão de unidades, a maior marca dos últimos dez anos. As capitais do país contam com uma malha de 3536 quilômetros de ciclovia, sendo que São Paulo e Brasília somam 31% desse total.

Sustentabilidade e Inovação

O levantamento realizado pelo Observatório Nacional de Transporte e Logística aponta que o uso da tecnologia de dados para o planejamento de redes urbanas de transporte contribui para a construção de soluções sustentáveis.

O acesso às informações de movimentação de passageiros, seja no transporte público ou particular, amplia a eficiência na integração entre os modos de transporte.

Embora o transporte individual de passageiros ainda tenha um peso significativo nas cidades brasileiras, grandes inovações têm sido implementadas visando o aumento da utilização de modos com energia limpa, como VLTs e metrôs, e mais recentemente ampliação significativa de ciclovias, veículos elétricos e utilização de ônibus não dependentes de combustíveis fósseis.

A Empresa de Planejamento e Logística subsidia a tomada de decisão nesse setor a partir da disponibilização de estudos técnicos e dados referentes a todos os modos de transporte coletivo urbano.

Para um acompanhamento mais detalhado do setor, o Observatório Nacional de Transporte e Logística lança um painel com dados de infraestrutura de transporte urbano e fluxo de passageiros nas cidades.

Para conhecer o Boletim de Logística acesse aqui.

Para conhecer o Painel Analítico Metroferroviário acesse aqui.

Deixe seu comentário