Em dezembro, fatalidades de trânsito superam média anual

Levantamento do programa Respeito à Vida revela que acidentes aumentam em rodovias e dentro das cidades. Índice dobra nas cidades do Litoral e jovens são as principais vítimas

11
Trânsito de São Paulo
Imagem de ALEXANDRE BRICIO por Pixabay

Novo estudo do Respeito à Vida, programa da Secretaria de Governo do Estado gerenciado pelo Detran, mostra que acidentes e fatalidades de trânsito aumentam no mês de dezembro na comparação com a média dos demais meses.

De acordo com as estatísticas do Infosiga SP, a elevação não se restringe às rodovias, e o índice chega a dobrar nas cidades do Litoral.

“O Verão será diferente por conta da pandemia e a recomendação é de evitarmos aglomerações e viagens. No entanto, os números mostram que é importante se precaver”, destaca o diretor-presidente do Detran, Ernesto Mascellani Neto.

No ano passado, dezembro foi o mês com maior número de fatalidades de trânsito. Foram registradas 505 mortes em acidentes, número 12,6% superior à média dos demais meses do ano (449 óbitos).

Em vias municipais, houve 250 vítimas e aumento de 12,5% na comparação com a média anual. Nas rodovias que cortam o Estado de São Paulo, o incremento é de 11,2% em dezembro, com registro de 230 óbitos. Em 25 ocorrências não foi possível identificar com precisão a jurisdição da via.

Em 11 das 16 regiões administrativas do Estado de São Paulo houve aumento dos índices: Barretos (+11,5%), Baixada Santista (+7,4%), Central (+3,1%), São José do Rio Preto (+2,7%), Registro (+2,5%), Sorocaba (+1,8%), Bauru (+1,3%), Metropolitana de São Paulo (+1%), São José dos Campos (+0,8%), Araçatuba, (+0,5%) e Ribeirão Preto (+0,3%).

As regiões com redução dos índices em dezembro são Franca (-2,4%), Itapeva (-2,4%), Presidente Prudente (-1,5%), Campinas (-0,7%) e Marília (-0,6%).

Quando analisamos somente as cidades litorâneas do Estado de São Paulo, o cenário se mostra mais grave. Foram registrados 43 óbitos em dezembro, quase o dobro da média anual (22 óbitos), o que representa um aumento de 49,5%.

“Infelizmente, ainda é comum atitudes irresponsáveis nesse período, como dirigir sob efeito de álcool e exceder os limites de velocidade, vitimando principalmente jovens”, explica a coordenadora do programa Respeito à Vida, Sílvia Lisboa.

Jovens e motocicletas lideram

O levantamento do programa Respeito à Vida também traça o perfil dos acidentes e das vítimas de trânsito em dezembro. Jovens com idade entre 18 e 34 anos representam 42% das vítimas, superando a média dos demais meses (33,6%).

Motociclistas também lideram as estatísticas e representam 41% das vítimas fatais, índice superior à média anual desse grupo (35%). Na sequência, estão os ocupantes de automóveis (25% do total em dezembro), pedestres (19%), ciclistas (7%), caminhoneiros (3%) e passageiros de ônibus (2%). Cerca de 60% dos vítimas eram condutores de veículos e 81% do sexo masculino.

As estatísticas do Infosiga SP mostram ainda que 49,5% dos acidentes fatais em dezembro ocorreram em vias urbanas, enquanto 45,5% das ocorrências foram em rodovias (em 5% dos casos não foi possível identificar com precisão a jurisdição da via).

Os principais tipos de acidente são a colisão entre veículos (41% do total), atropelamentos (21%) e choque contra objetos fixos (16%). As ocorrências estão concentradas no período noturno (57%) e nos finais de semana (49%).

Por conta da pandemia, o Detran reforça a mensagem de que a população deve evitar viagens e aglomerações neste período. Enquanto a vacina não chega, a prevenção segue sendo a principal arma no combate à Covid 19.

Deixe seu comentário