Metrô inaugura o MetroLab, primeiro laboratório de inovação do setor metroviário no mundo

38
MetroLab
Foto: Divulgação

Nesta terça-feira, dia 18 de fevereiro, o Metrô inaugurou o seu laboratório de inovação, o “MetroLab”, o primeiro entre os metrôs do mundo, na sede da UNIMETRO (Universidade Corporativa do Metrô), no Pátio Jabaquara.

O espaço conta com ambientes de testes e prototipagem, equipamentos como impressora 3D e lousas digitais, materiais e recursos técnicos de ponta, além de uma incubadora de projetos de inovação.

O projeto conduzido pela UNIMETRO, em parceria com o Núcleo de Inovação Tecnológica, busca um novo modelo mental por meio de um espaço destinado a experimentos e inovação voltados à mobilidade.

MetroLab Espaço
Foto: Divulgação

Cientistas, técnicos, pesquisadores, estudantes e startups poderão trabalhar em conjunto nos projetos e soluções sustentáveis em um espaço especialmente desenhado para essas atividades.

“Nossa expectativa com este espaço é que ele reúna pensadores, estudiosos, cientistas e pessoas que conheçam mobilidade para inovar. Não só no meio de transporte, mas na forma de pensar como as pessoas podem se locomover. Teremos a oportunidade de incentivar incubadoras e jovens que queiram empreender nesta área”, destacou Silvani Pereira, presidente do Metrô.

MetroLab Espaço
Foto: Divulgação

Jurandir Fernandes, um dos maiores especialistas na área, apresentou as novas tendências em mobilidade, um histórico do desenvolvimento dos transportes e os conceitos do MAAS (Mobility As A Service – Mobilidade como um serviço). Trata-se de um novo modelo caracterizado pela oferta de serviços de transporte personalizado, com a gestão de viagem flexibilidade de pagamento, facilidade de transação e planejamento de viagem conforme a demanda de deslocamento do passageiro. Tudo isso com o uso das novas tecnologias e dados de localização em tempo real combinadas para melhorar a experiência do usuário.

A chefe da UNIMETRO, Sílvia Pasini, explicou a finalidade do MetroLab. Segundo ela, muita gente ainda acha que inovar é só ser um pouco criativo, ter um jeito descolado ou pensar fora da caixa. “Na verdade, para inovar, existem técnicas, métodos e instrumentos e diferentes pessoas pensando em conjunto para solucionar problemas complexos. Se tiver que errar, vamos errar rápido em um ambiente seguro como este e aprender para criar belos projetos”.

Deixe seu comentário