Rota Escolar Segura no Jardim Nakamura será implantada

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes, irá implantar o Programa Rota Escolar Segura na região do Jardim Nakamura, na Zona Sul. A área escolhida para receber as intervenções temporárias concentra 17 escolas que atendem 10.586 alunos.

Lançado pela Companhia de Engenharia de Tráfego em 2017, o Rota Escolar Segura é um programa para tratar áreas ou bairros que concentram várias escolas e onde a maioria dos estudantes e acompanhantes tem como hábito fazer o trajeto casa-escola a pé.

O objetivo é reduzir o risco de acidentes de trânsito nos trajetos usados pelos estudantes, e não somente no entorno de uma unidade de ensino de forma isolada.

Rota Segura
Foto: Marcelo Pereira/Secretaria de Comunicação

No Jardim Nakamura, as vias mais utilizadas como caminho para a escola são a Estrada do M’Boi Mirim e a Rua Agamenon Pereira da Silva. O cruzamento entre essas duas vias concentra mais de 50% dos 56 acidentes ocorridos na área entre 2016 e 2018.

Diante desse cenário, a Companhia de Engenharia de Tráfego projetou intervenções viárias com foco na segurança de pedestres ao longo das ruas Agamenon Pereira da Silva, Manoel Vitor de Jesus e Valentim Correa Pais. Nos dias 29, 30 e 31 de maio, a Companhia promoverá um evento de “urbanismo tático”, com implantação de sinalização provisória nos seguintes locais:

  • Rua Agamenon Pereira da Silva com a Rua Macari Grande;
  • Rua Inácio Parreira Neves;
  • Rua Agamenon Pereira da Silva entre as ruas Inácio Parreira Neves e Manoel Vitor de Jesus;
  • Minirrotatória no cruzamento da Rua Agamenon Pereira da Silva com a Rua Manoel Vitor de Jesus;
  • Rua Manoel Vitor de Jesus entre as ruas Agamenon Pereira da Silva e Valentim Correa Pais;
  • Trecho da Rua Valentim Correa Pais;
  • Minirrotatória no entroncamento da Rua Valentim Correa Pais com a Estrada da Baronesa;
  • Minirrotatória no cruzamento da Rua Manoel Vitor de Jesus com a Rua Valentim Correa Pais.

O evento tem o apoio da Subprefeitura do M’Boi Mirim e pretende demonstrar aos moradores da região as propostas de sinalização que envolvem novas lombadas, extensão de passeio, mudança na localização de dois pontos de ônibus, além das minirrotatórias, e testá-las.

Em julho, as melhorias deverão se tornar definitivas. Dessa forma, quando o segundo semestre começar, os alunos poderão usufruir de caminhos mais seguros e melhor sinalizados para chegar às escolas.

Em paralelo à Rota Escolar Segura, o Jardim Nakamura receberá o projeto Territórios Educadores, que compõe o Plano Municipal pela Primeira Infância da Prefeitura de São Paulo. Aproveitando a Semana Municipal do Brincar, de 25 de maio a 2 de junho, promovida pela Prefeitura de São Paulo, a iniciativa aplicará atividades para crianças no local.

Rota Jardim Nakamura
Foto: Marcelo Pereira/Secretaria de Comunicação

Será realizada ainda a recuperação da área viciada de descarte junto da Escola Municipal de Educação Infantil Clemente Pastore e do escadão que liga as ruas Jerônimo de Souza Lobo e Inácio Parreira Neves, além do recape desta via – ação esta planejada pela Subprefeitura do ‘Boi Mirim.

Também será revitalizada a passagem de pedestres vizinha à Unidade Básica de Saúde Jardim Nakamura. A praça junto à Rua Macari ganhará um aumento de calçada.

Além da Companhia de Engenharia de Tráfego e da Subprefeitura local, os colaboradores desse evento são a SPTrans e as organizações não governamentais Criança Segura e Sampapé.

Vida Segura

As ações no Jardim Nakamura fazem parte do Programa de Metas da Prefeitura de São Paulo para o biênio 2019-2020, por meio do Vida Segura, o Plano de Segurança Viária 2019-2028. O plano é baseado no conceito Visão Zero e Sistemas Seguros, que parte da premissa de que nenhuma morte é aceitável no trânsito.

Criado na Suécia em 1997, esse conceito já é usado como referência para planos de segurança viária de longo prazo em cidades como Nova York, Cidade do México, Bogotá e, agora, São Paulo.

O Plano de Segurança Viária 2019-2018 é resultado de um ano de trabalho, com o envolvimento de 200 pessoas, 15 órgãos públicos e mais de 50 colaboradores para a elaboração do texto final, com apoio do Banco Mundial, da Iniciativa Bloomberg para a Segurança Global no Trânsito e do WRI Brasil.

Deixe um comentário