Linha 15-Prata: Leia o que foi destaque no mês de abril

0
48
Estação Vila União da Linha 15-Prata
Estação Vila União

As novas estações São Lucas, Camilo Haddad, Vila Tolstói e Vila União da Linha 15-Prata foram inauguradas no dia 6 de abril, porém funcionam somente no formato de operação assistida, de segunda a sexta-feira, das 10h às 15h, sem cobrança de tarifa entre as estações Vila União e Oratório.

Durante este mês de abril, utilizei o novo trecho e vou contar aqui o que observei nas estações e durante as viagens, sobre as falhas, além do que foi notícia sobre a Linha 15-Prata. Continue lendo.

ESTAÇÕES VILA TOLSTÓI E SÃO LUCAS

Nas semanas após a inauguração, na Estação Vila Tolstói observei que os funcionários da limpeza estavam realizando a limpeza em geral da estação, especialmente nos inúmeros vidros, já que esta e as demais foram inauguradas às pressas e só deram “um tapa” na limpeza.

Na Estação São Lucas, na saída para a Rua Francisco Fett, próximo ao Supermercado Joanin, observei que diversos funcionários estavam terminando o paisagismo da estação, além disso tinham funcionários da limpeza que estavam limpando as escadas rolantes.

Também na Estação São Lucas, somente um lado dos bloqueios era usado para entrada e saída dos passageiros e o acesso para a plataforma da estação era realizado apenas por duas escadas rolantes, subindo e descendo.

Tanto nas estações São Lucas e Vila Tolstói observei que ficavam funcionários do Metrô nas plataformas tirando dúvida dos passageiros e na área dos bloqueios ficavam jovens fazendo pesquisas sobre o Metrô segurando uma prancheta nas mãos.

Nas viagens que fiz dentro do trem notei que sempre ficam dois seguranças observando a movimentação dos passageiros e por muitas vezes tirando dúvidas dos passageiros quando os questionam sobre a operação da Linha 15-Prata. Os chamados “solavancos” durante a viagem dentro da composição não chegam a incomodar.

Em uma das viagens que fiz no dia 9 de abril, apenas metade do trem foi utilizada para acomodar os passageiros, sentido Vila Prudente, já na volta, sentido Vila União, não havia isolamento de parte do trem. Notei também que muitos estudantes das escolas das redondezas das novas estações utilizaram o trajeto para se deslocarem entre suas casas e as escolas.

Vale lembrar que a viagem é gratuita somente entre as estações Vila União e Oratório, para seguir viagem até a Estação Vila Prudente é necessário desembarcar na Estação Oratório e passar pelos bloqueios da estação para pagar a passagem.

Ao pesquisar sobre a Linha 15-Prata no Google acabei encontrando este vídeo abaixo do canal ProjetoBRA no YouTube que mostra as áreas interna e externa da Estação Vila Tolstói. Assista abaixo.

FALHAS QUE OCORRERAM DURANTE O MÊS DE ABRIL

Durante este mês de abril, várias falhas ocorreram durante a operação da Linha 15-Prata que interromperam a circulação dos trens no trecho das novas estações ou limitaram a velocidade dos trens no trecho entre as estações Vila Prudente e Oratório, impactando a viagem dos passageiros.

Eu fiz uma pequena cronologia dos problemas apresentados durante este mês de abril.

Terça-feira, dia 10 de abril

No período da tarde, entre 15h48 e 17h04, a circulação dos trens ficou reduzida e com maior tempo de parada entre as estações Vila Prudente e Oratório, por conta de uma falha técnica.

Quarta-feira, dia 11 de abril

Entre 5h16 e 9h08, ocorreu uma falha no sistema de sinalização e controle dos trens e a velocidade dos trens ficou reduzida entre as estações Oratório e Vila Prudente.

Já no final da manhã entre 10h28 e 11h22, a mesma falha voltou a acontecer e a operação assistida entre as estações Oratório e Vila União ficou suspensa no restante do dia. Alguns passageiros relataram pelas redes sociais que ao descer na Estação Oratório, a espera pelo trem para seguir viagem até a Estação Vila Prudente chegou a ser de 10 a 15 minutos.

Terça-feira, dia 17 de abril

A circulação de trens ficou interrompida entre as estações Vila União e Oratório das 11h58 às 13h42. Segundo o Metrô, aconteceu um problema em duas portas de plataforma na Estação Vila União, ou seja, as portas não estavam abrindo e o trem ficava parado na plataforma por mais tempo para que os passageiros pudessem sair dos vagões.

Na Estação Oratório, os passageiros também relataram pelas redes sociais que a espera pelo trem chegou a ser de cerca de 20 minutos para seguir viagem até a Estação Vila Prudente.

Segunda-feira, dia 23 de abril

Em razão de uma falha em equipamento de via, localizado nas proximidades da Estação Oratório, a operação assistida nas novas estações ficou suspensa. As estações São Lucas, Camilo Haddad, Vila Tolstói e Vila União ficaram fechadas.

Terça-feira, dia 24 de abril

A operação assistida nas novas estações também ficou cancelada neste dia. As estações São Lucas, Camilo Haddad, Vila Tolstói e Vila União ficaram fechadas novamente. As equipes de manutenção do Metrô e da empresa fornecedora Bombardier atuaram para consertar o equipamento de via com falha e que se encontra na garantia técnica.

As estações Vila Prudente e Oratório foram fechadas a partir das 21h para a continuidade dos testes do novo sistema de controle dos trens e foram reabertas normalmente às 4h40 do dia seguinte.

Quarta-feira, dia 25 de abril

A operação assistida entre as estações São Lucas, Camilo Haddad, Vila Tolstói e Vila União também seguiu cancelada neste dia, em razão da continuidade do problema detectado num equipamento de via.

As estações Vila Prudente e Oratório também fecharam às 21h, para a continuidade dos testes do novo sistema de controle dos trens, reabrindo normalmente no dia seguinte.

Quinta-feira, dia 26 de abril

Neste dia, os passageiros já puderam visitar normalmente as estações São Lucas, Camilo Haddad, Vila Tolstói e Vila União. Nos dias 24 e 25 de abril, o novo trecho de 5,5 quilômetros passou por ajustes e esteve novamente em operação.

No período da manhã, entre 10h42 e 11h02, a circulação dos trens ficou com maior tempo de parada, em razão de falha em uma composição.

Já no início da tarde, entre 13h08 e 13h10 houve uma falha em equipamento de via e os trens circularam com restrição de velocidade, sendo rapidamente normalizada.

O que diz o Metrô sobre as falhas

Sobre as falhas que ocorreram neste mês de abril, o Metrô informou que o sistema passa por testes entre as estações Vila União e Oratório para a operação assistida e ajustes vem sendo realizados para melhor desempenho operacional. “Nesta fase, no entanto, podem ocorrer falhas que afetem a circulação dos trens em toda linha, inclusive no trecho já em operação comercial, uma vez que o Metrô opera no sistema carrossel”, informa a companhia.

DECLARAÇÃO DE OCORRÊNCIAS

Muitas vezes por causa desta rotina de falhas no sistema metroviário os passageiros acabam chegando atrasados na escola ou no trabalho. O Metrô disponibiliza após a falha ser resolvida uma Declaração de Ocorrências em seu site oficial para o passageiro entregar na escola ou no trabalho para justificar o atraso.

declaração de ocorrências do metrô

A declaração é disponibilizada no formato PDF para salvar o arquivo e encaminhá-lo por e-mail ou para imprimir.

SITUAÇÃO EM TEMPO REAL

Eu quero dar aqui uma dica bastante útil. Antes de você chegar em alguma das estações da Linha 15-Prata ou das demais linhas do Metrô ou da CPTM para embarcar, eu sugiro acompanhar o Direto dos Trens, no Twitter, Telegram ou site para saber se a linha que você utiliza está operando normalmente.

Twitter @DiretoDosTrens

O Direto dos Trens emite notificações automáticas e em tempo real de alterações ou incidentes reportados pelas companhias.

FUNCIONAMENTO EM TEMPO INTEGRAL

Ainda não há nenhuma previsão sobre quando as novas estações irão operar em horário integral das 4h40 à meia-noite, por enquanto elas estão no formato de operação assistida, funcionando apenas das 10h às 15h. “Esta fase é essencial para a maturação dos sistemas em horário de baixa demanda e está alinhada às normas internacionais aplicadas às novas linhas de metrô em todo o mundo”, informa o Metrô.

Como o sistema de monotrilho é inédito aqui em São Paulo, é provável que os testes durem por muitos meses para verificar diversas condições que ainda não foram testadas como transportar muitos passageiros e o fim dos “solavancos”, que são comuns no trecho entre as estações Oratório e Vila Prudente.

camilo haddad plataforma
Plataforma da Estação Camilo Haddad (Foto: Eduardo Silva)

CIDADE TIRADENTES

Eu sempre estou acompanhando nas redes oficiais do Metrô o que os passageiros estão questionando sobre a Linha 15-Prata e um passageiro questionou quando o monotrilho da Linha 15-Prata chegará enfim no bairro Cidade Tiradentes, conforme prometido no início das obras por volta de 2010.

O Metrô respondeu ao passageiro que “a meta é concluir os trechos que já possuem obras avançadas antes de abrir novas frentes de trabalho, no caso da Linha 15-Prata, os esforços se concentram na conclusão das obras até São Mateus, prevista para ainda neste semestre”.

ACOMPANHAMENTO

Eu vou continuar acompanhando nos próximos meses todas as informações a respeito da Linha 15-Prata e irei atualizar aqui no site, não deixe de acompanhar.

Se você tiver qualquer dúvida ou quiser colaborar com alguma informação sobre a Linha 15-Prata me envie um e-mail para eduardo@mobilidadesampa.com.br ou envie uma mensagem no Whatsapp (11) 96292-9448 que irei te responder. Até mais!

LEIA TAMBÉM

  • O Adnael Nogueira do site Agência Universitária de Notícias da Universidade Cruzeiro do Sul fez uma matéria falando sobre as pendências relacionadas às obras inacabadas e falta de itens básicos de segurança das novas estações. Além disso, conversou com alguns passageiros que ainda não observam efeitos positivos no deslocamento até a Estação Vila Prudente.
  • Cinco linhas de ônibus que operam na região do Jardim Independência retornaram para os seus itinerários originais, utilizando o trecho entre a Avenida do Oratório e a Rua Apiteri. As linhas haviam sido desviadas por conta da realização de obras de execução da Linha 15-Prata.
  • O José Euvilásio Sales do blog Circular Avenidas esteve presente no dia da inauguração e conta detalhes sobre as novas estações que foram entregues incompletas.
  • Uma matéria do Jornal do Monotrilho fala sobre as falhas do monotrilho durante a fase de testes em operação assistida.
  • Vários leitores me indicaram o vídeo que o Robson Corrêa publicou em seu canal no YouTube onde ele filmou a região da Estação Vila Tolstói na visão de um drone. Assista abaixo.

Deixe seu comentário

comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO