Lauro Michels se reúne com o governo estadual para discutir sobre taxa de integração

88
Foto: Glauco Araújo

O prefeito de Diadema, Lauro Michels, participou nesta sexta-feira (6) de uma reunião com Clodoaldo Pelissioni, secretário de Transportes Metropolitano de São Paulo, para apresentar uma roteiro de reivindicações contra a cobrança da taxa de integração nos terminais Piraporinha e Diadema.

Após o fim da reunião, Clodoaldo Pelissioni disse que as reivindicações serão estudadas. “Nós estamos conversando com o prefeito para ver as soluções. Recebemos esta comissão e vamos avaliar”, afirmou o secretário.

Antes da reunião, Lauro Michels ameaçou recorrer à Justiça. “A minha discussão é a integração. Se a cobrança for mantida, iremos tomar as medidas judiciais cabíveis, porque não vamos deixar e nem desistir de um direito adquirido, que o governador apalavrou aqui em Diadema que não teria cobrança de integração. Há 24 anos existe integração gratuita, por que agora querem cobrar?”, questionou o prefeito.

O secretário explicou que em outros terminais a taxa de integração já é cobrada. “No sistema municipal, o cidadão paga o ônibus e no terminal metropolitano. Em seis deles, ele paga, em três o passageiro não paga. A empresa que opera os terminais tem o direito de cobrar e nós avaliamos, e muito, a questão. E decidimos cobrar uma tarifa menor, dada a dificuldade pela crise econômica no país. Essa tarifa é de R$ 1, que é 75% do que se cobra geralmente”, disse.

“Se o usuário não pagar, o governo vai ter de pagar. O governo recebe impostos e os impostos são pagos pela população. Se o usuário não pagar, o contribuinte que vai ter de honrar o valor. O subsídio já existe. R$ 1,00 já sendo subsidiada. Se não cobrar R$ 1,00 eu vou ter de pagar essa diferença”, completou o secretário.

Deixe seu comentário