Operação identifica irregularidades em postos de combustíveis

50
Foto: Divulgação

A operação deflagrada em conjunto pelo Instituto de Pesos e Medidas (Ipem), Procon e Secretaria da Justiça apontou irregularidades em ao menos dois postos de combustível visitados na manhã desta quarta-feira (28) em São Paulo.

Ao todo, seis postos da capital paulista foram alvos da operação, que começou por volta das 6h. Quatro deles na Zona Leste, e dois da Zona Norte. Os estabelecimentos já eram investigados pelas autoridades competentes e foram escolhidos por conta de denúncias e reclamações recorrentes de consumidores.

Testes volumétricos, para verificar se os motoristas realmente recebiam a quantidade de combustível que compravam, e de qualidade, para averiguar a pureza do combustível, foram realizados pelos fiscais nos locais nesta manhã. Até as datas de validade dos produtos vendidos pelas lojas de conveniência foram checadas pelos agentes.

Irregularidades

Em um dos postos visitados, na Rua São Quirino, na Vila Guilherme, sucos, biscoitos, chiclete, cerveja e aditivo de motor foram apreendidos por estarem vencidos. Lá, fiscais do Instituto de Pesos e Medidas também descobriram fios elétricos podres no interior de uma das bombas, que acabou interditada por questão de segurança.

Ainda no mesmo estabelecimento, outra bomba foi lacrada, desta vez por ter sido reprovada no teste volumétrico. Os clientes que abasteciam nela perdiam meio litro de combustível a cada 55 litros comprados. “Além do dano que pode causar ao cidadão, risco aos veículos, também é concorrência desleal”, afirmou o delegado Maurício Guimarães Soares.

O gerente do posto, Antônio Rodrigues, negou má fé e disse não entender a incompatibilidade aferida entre a quantidade marcada na bomba e a que efetivamente vai para os tanques dos veículos.

Ele também se mostrou surpreso com os produtos fora de validade encontrados na loja de conveniência por agentes do Procon.

Em outro estabelecimento, na Avenida Aricanduva, na Zona Leste, bombas também marcavam mais combustível do que ia para os carros e foram lacradas. Já na Avenida Edu Chaves, na Zona Norte, o posto que seria alvo da fiscalização foi encontrado fechado em plena manhã de quarta-feira.

A operação desta quarta-feira foi realizada um dia depois de a polícia fechar uma distribuidora em Guarulhos, na Grande São Paulo, que armazenava 300 mil litros de gasolina adulterada. A quadrilha que distribuía o produto, composto por apenas 20% de gasolina, foi presa na terça (27) quando se preparava para abastecer um posto na região da Casa Verde.

* Com informações do portal G1

Deixe seu comentário

comentários

Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here