Metrô de São Paulo perde 300 mil passageiros diários

Em meio à crise econômica e a alta do desemprego, o Metrô de São Paulo perdeu 300 mil passageiros diários, em comparação com 2015. A queda no número de usuários se acentuou neste mês. Entre janeiro e maio, a companhia registrou 100 mil passageiros a menos por dia, em relação ao mesmo período de 2015.

Segundo o secretário estadual dos Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, o Metrô transportou diariamente 4,7 milhões de passageiros por dia na média de julho de 2015. Neste ano, porém, houve queda de 6,3%, chegando a 4,4 milhões de usuários diários.

Esse índice considera as linhas 1-Azul, 2-Verde, 3-Vermelha e 5-Lilás, do Metrô, e a 15-Prata (monotrilho), mas exclui a Linha 4-Amarela, administrada pela ViaQuatro. Em junho, último mês com balanço fechado, a concessionária registrou queda de 1,43% no número de passageiros da Linha 4-Amarela. Foram 693,6 mil, em média, em dia útil, em junho de 2015, ante 683,7 mil no mesmo mês deste ano.

“Números recentes falam em 1,6 milhão de desempregados na Grande São Paulo, e o Metrô tem transportado a menos cerca de 300 mil pessoas por dia”, disse Clodoaldo Pelissioni, nesta quarta-feira, em entrevista à Rádio Estadão. O recuo é reflexo da “crise econômica pela qual passa o País”, disse.

Clodoaldo Pelissioni negou que o aumento na concessão de gratuidades tenha grande impacto nas finanças da companhia, mas afirmou que o menor número de usuários tem diminuído os recursos do Metrô. “Cada vez eu tenho menos receita e as despesas são as mesmas: energia, funcionários”, disse. “O que tem impactado o caixa é a própria crise econômica.”

A pasta não informou qual foi a queda na receita tarifária do Metrô. Em junho, o diretor de operações da empresa, Mário Fioratti, disse que, graças à queda no número de passageiros (de 86 mil por dia, ou 100 mil, sem considerar a Linha 4-Amarela) havia previsão de redução de R$ 60 milhões no orçamento para 2016.

* As informações são do jornal O Estado de São Paulo

Deixe um comentário