Aos 41 anos, Central de Achados e Perdidos do Metrô já recebeu mais de um 1,1 milhão de itens

251
Foto: Reprodução

No mês de junho, a Central de Achados e Perdidos do Metrô de São Paulo completa 41 anos de atendimento ao público, registrando a marca de 1.134.538 itens recebidos e de 326.257 devolvidos. Esses dados fazem a Central ser reconhecida como um dos serviços de maior confiabilidade na capital paulistana.

Durante todo o ano de 2015, 81 mil objetos foram recebidos na Central de Achados e Perdidos, atingindo uma média de quase 7 mil itens por mês. Desse total, 63% são documentos e 37% são objetos diversos. O que mais se perde nos trens e estações do Metrô são documentos, artigos de papelaria, carteiras, peças de vestuário/acessórios e celulares.

Entre os objetos mais inusitados que já foram esquecidos no Metrô estão cadeiras de rodas, muletas, espada, carrinho de bebê, colchão, vestido de noiva, bicicletas, penico, narguile, fogão, carrinho de pedreiro, urna funerária, próteses dentárias, prósteses de pernas e, mais recentemente, um olho de silicone.

Para facilitar que os donos encontrem seus objetos perdidos, o Metrô dispõe de um serviço de atendimento via telefone e internet, que recebeu quase 116 mil consultas em 2015, o que representa uma média de 317 consultas por dia. Somente no guichê da Central de Achados e Perdidos, na estação Sé, foram realizados 37 mil atendimentos presenciais.

As estações com o maior número de objetos e documentos perdidos e encontrados em 2015 foram Sé, Jabaquara, Palmeiras-Barra Funda, Corinthians-Itaquera, República, Tucuruvi, São Bento, Santana, Luz e Ana Rosa.

Quem procura, acha

O atendimento pessoal da Central de Achados e Perdidos é feito na estação Sé, de segunda a sexta-feira, exceto feriados, das 7 às 20h. As consultas de documentos e objetos também podem ser realizadas na Central de Informações do Metrô – pelo telefone 0800-770 7722, todos os dias, das 5h30 às 23h30, ou ainda pelo site do Metrô (www.metro.sp.gov.br).

Todos os itens permanecem à disposição dos proprietários, por 60 dias. Após esse período, os objetos em bom estado e os valores não devolvidos são doados ao Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo. Já os documentos são encaminhados aos órgãos emissores.

Para evitar a perda de objetos e documentos, o Metrô recomenda aos usuários que fiquem atentos aos itens que estão sendo transportados e observem seus pertences antes do desembarque. É importante também que os objetos tenham sempre algum tipo de identificação, o que facilitará a localização do proprietário e sua devolução pela Central de Achados e Perdidos.

Deixe seu comentário

comentários

Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here